Translate

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Maritimo 1 - Benfica 2

Era, até final da epoca, o jogo mais dificil do caléndário do Benfica.
O Benfica estava forçado a ganhar este jogo para depois, em sua casa, receber o Estoril antes de ir ao Dragão.
Entramos bem no jogo e aos 5 minutos já venciamos por 1-0 com um penalty convertido por lima.
Dois minutos depois o Maritimo diz presente e  Márcio Rozário atira ao poste! 
O Maritimo ia pressionando muito mas o Benfica com mais ou menos dificuldade ia afastando a pressão e quando já ninguém esperava surge o golo do empate.
Igor de cabeça fez o 1-1 e as equipas foram para os balneários empatadas.
Na segunda parte o Benfica torna a entrar mais forte e aos 52 minutos Lima ve a barra a devolver um remate seu.
Aos 71 minutos a infelicidade de Igor fez a felicidade de milhões. Após cruzamento de Sálvio,  Igor faz golo na própria baliza.
Aos 76 minutos de novo Igor no centro das atenções:
Cardozo no um para um com Rossi, recebe uma entrada por trás (tipica "tesourada")
É verdade que Igor toca na bola, mas também é verdade que depois é atropelado...
Daquelas entradas que se fosse um jogador do Benfica a fazer não só era penalty como haveria lugar a expulsão. Neste caso foi canto.

Até final o Benfica controlou bem a partida e arrancou uma vitória importantissima num estádio dificil.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Fernerbahçe 1 Benfica 0

A primeira mão da meia final da liga europa não se adivinhava facil.
Principalmente por ser um ambiente sempre tão hostil.
Perdemos 1-0 (golo aos 72 minutos) mas eu ainda acredito na reviravolta em casa!!!


FORÇA BENFICA!

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Benfica 1 Paços de Ferreira 1 (3-1)

Oito anos depois o Benfica volta ao Jamor. Vindo de uma vantagem de 0-2 na primeira mão, esperava-se um encontro em que Jesus colocasse em campo algum jogadores menos utilizados. Erro. Jesus meteu a carne toda no assador (expressão novamente na moda) e entrou para jogo passando a mensagem que apesar de tudo o jogo era para ganhar.













No entanto, e de forma surpreendente, o Paços não nunca teve uma atitude de desespero e mesmo tendo o relógio (e marcador) foi sempre uma equipa algo previsível quando tentava atacar.
O jogo foi morno (para não dizer frio), nem o Benfica jogava o seu melhor nem o Paços buscava um golo que o pudesse relançar na partida.
O encontro chegou ao intervalo com algumas oportunidades para o Benfica (incluindo uma bola no poste após remate de Cardozo) e uma intervenção monumental de Artur que negou o golo ao Paços.
Na segunda parte mais do mesmo, jogo lento e previsível com as equipas a arrastarem o encontro.
No entanto, quem tem Cardozo, não pode jogar para o 0-0 e aos 54 minutos, após jogada de entendimento, Gaitan cruza do lado esquerdo para o centro da área onde estava Cardozo que com um remate a 105km/h inaugurou o marcador.
Segundos depois era como se nada tivesse passado. O jogo não alterava as suas caracteristicas e tudo era feito com a maior calma do mundo.
Aos 80 minutos, momento caricato com Maxi a assistir Cicero que não desperdiçou e fez o golo do empate. Foi o primeiro golo sofrido pelo Benfica na taça nacional.
Que pena ter sido assim...
Primeiro objectivo da época garantido!
O Benfica volta ao Jamor onde já foi feliz muitas vezes. Ficamos á espera de adversário.



"Bomba atómica"

Não gosto muito deste senhor.
Mas de vez em quando o artista manda um bitaite e lá tenho eu que lhe dar razão...
Este é mais um tema em que tenho de concordar com ele. É uma realidade que podemos estar todos enganados e que o presidente já possa ter a renovação feita há muito tempo.
Quero acreditar nisso. Caso contrário esta bomba atómica pode mesmo vir a ser uma realidade...

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Newcastle 1 Benfica 1 (2-4)

O Benfica deslocava-se a Inglaterra naquele que parece ser já um pais de eleição entre os adeptos do Benfica.  Ambiente futebolistico fantástico com o ingleses a reconhecerem a grandeza do clube e a discutir em amena cavaqueira futebol com os portugueses com a ajuda das famosas pints para que a garganta não fique seca. Em suma, um ambiente que jamais será possível ter em Portugal.
Antes do jogo começa o Benfica já estava a marcar pontos.
Homenagem singela e bonita a um dos melhores treinadores que passou por Portugal.
Sir Bobby Robson
Se os portugueses já caiam bem aos ingleses, depois disto não é preciso dizer nada mais em relação a essa simpatia.
Amigos, amigos, negócios á parte.
Jesus entrou com tudo e fez alinhar em St. James Park os seguintes:



Apoiado por "apenas" 2000 adeptos, o Benfica não se atemorizou perante um ambiente adverso e entrou a mandar no jogo, fazia uma boa circulação de bola e escondia a mesma dos ingleses que viam o relogio jogar contra si desde o apito inicial.
Só aos 28 minutos surguiu a primeira nota de emoção. Krul armou-se em Artur e perdeu a bola para Lima. A bola sobra para Gaitan que de baliza aberta foi lento o suficiente para permitir a intervenção de  Massadio Haïdara. Uma grande perdida que no entanto alterava ainda mais o estado emocional da equipa da casa que tinha de ganhar sem sofrer golos. O primeiro aviso estava dado.
O jogo continuava morno  com a sensação clara que o Benfica controlava as operações até que aos 45 minutos soou o alarme.
Cissé introduz a bola dentro da baliza, para delírio dos ingleses, no entanto o arbitro assinalou fora de jogo e o 0-0 foi mesmo o resultado com que as equipas terminaram a primeira parte.
A segunda parte foi uma cópia da primeira, o Benfica controlava a bola e o ritmo de jogo e foi a primeira equipa a ter uma oportunidade de golo flagrante que Gaitan desperdiçou.
É verdade que os da casa eram mais pressionantes mas ainda assim o Benfica era mais inteligente.
Inteligencia essa que não ficou provada aos 71 minutos.

Desentendimento infantil entre Matic e Garay já perto da linha de fundo, a bola acaba por ser cruzada e Cissé de cabeça faz o 1-0 e o 2-3 na eliminatória.

Entraram Rodrigo e Cardozo e o jogo do Benfica mudou. Os da casa pressionavam mais e o Benfica agora apostava em transições rápidas. Nos últimos 10 minutos o jogo partiu-se e era bola cá, bola lá, embora não existisse verdadeiro perigo para as balizas.

Já em tempo de desconto, Rodrigo a toda a velocidade na esquerda assiste Sálvio que não perdoou e colocou em delírio os Benfiquistas a quem fez questão de dedicar o golo juntamente com Rodrigo.



Passagem mais do que justa do Benfica que foi sempre superior ao Newcastle. É verdade que o Benfica podia ter sofrido mais golos (em especial na primeira mão) mas também é verdade que podia ter marcado muitos mais.
ESTAMOS PORTANTO NAS MEIAS FINAIS DA EUROPA OUTRA VEZ...
Algo muito importante para o nosso clube. Eu sei disso, nós sabemos disso e o Sálvio também sabe..



Ps- A cara de André Gomes e dos stewards a contemplarem a festa Benfiquista no topo!
onde entretanto nós davamos mais cor ao estádio =)


O estádio é bonito, mas ficar no topo onde ficamos é quase criminal, não se vê quase nada...

domingo, 7 de abril de 2013

Olhanense 0 Benfica 2

Delocação ao Algarve para jogar com a equipa de Cajuda.
O favoritismo era mais que obvio e a unica questão que se foi colocando ao longo da semana foi exactamente como iria ser o "autocarro" da equipa de Olhão.
Jesus fez entrar Artur, André Almeida, Luisão, Garay, Maxi Pereira, Matic, Salvio, Enzo Perez, Gaitan, Rodrigo e Lima.
Aos 5 minutos surge  a primeira oportunidade. Lima após trabalho de Rodrigo na esquerda, falha o desvio para o golo.
Dois minutos depois seria a vez de Sálvio
rematar de primeira de pé esquerdo, mas o guarda-redes da casa segurou.
Aos 14 nova oportunidade para o Benfica. Gaitan deixa de
calcanhar para Rodrigo e este atira à baliza. Bracalli conseguiu desviar a bola. Só dava Benfica e Bracalli.
Aos 15 minutos, canto para o Benfica, com a bola a ser colocada ao segundo poste onde estava Rodrigo que atira por cima da barra.
O jogo perdeu algum ritmo e até ao intervalo só houve tempo para mais duas oportunidades para o Benfica e ambas desperdiçadas por Lima.
O Benfica ia para o intervalo com um nulo no marcador que nestas alturas do campeonato não é nada bom.
A segunda parte começou tal como a primeira, com o Benfica a carregar. Era um Benfica mandão que procurava o golo e não deixava a equipa da casa jogar. E o golo chegou aos 52 minutos por intermédio de Sálvio.

O argentino surge na zona central, remata forte (89Km/h) e cruzado à baliza de Bracalli.
Estava inaugurado o marcador.















Aos 64 minutos novo golo para o Benfica. Bola colocada da esquerda para a zona central onde aparece Matic (o tal que não prestava) a rematar a 114 km/h e a fazer o 0-2 na partida.

















O Benfica abrandou o ritmo e limitava-se a controlar o jogo.
Até ao final do jogo um par de situações mais para o Benfica mas o resultado final estava feito.
Vitória do Benfica que mantem assim a vantagem para os corruptos.


quinta-feira, 4 de abril de 2013

Benfica 3 Newcastle 1

Ditou o sorteio para os quartos de final que a primeira mão fosse em Portugal. Depois de uma semana em que os treinadores trocaram de galhardetes era chegada a hora dos jogadores mostrarem em campo quem estava certo.
Jesus fez alinhar:


O Benfica até nem entrou mal na partida e aos 10 minutos quase marca o primeiro da noite.
Gaitán remata forte de fora da área para defesa apertada de Tim Kru.
Mas dois minutos depois balde de água fria na luz.
Cissé surge ao segundo poste e ao bom cruzamento da direita só teve de encostar para dentro da baliza de Artur.


 
O Benfica continuou mais autoritário, com mais posse de bola mas sem conseguir criar grande perigo, por sua vez o Newcastle ia apostando em transições muito rápidas para tentar surpreender e aos 23 minutos conseguem mesmo surpreender com Cissé que viu o seu remate a ser devolvido pelo ferro depois de ter sido desviada por Garay e Artur.
A estupefação pairava na luz. Mas por pouco tempo.
Aos 25 minutos Cardozo envia uma bomba, Tim é incapaz de segurar e na recarga Rodrigo surpreende o seu marcador, antecipa-se e atira para o fundo das redes. Estava feita a igualdade e devolvida a tranquilidade aos mais de 40 mil que estavam no estádio.

Dois minutos depois o Benfica esteve muito perto do segundo golo. André Gomes remata de fora da área para uma grande defesa de Tim Krul, e na recarga, O. John atira para nova excelente intervenção do guarda-redes holandês. No seguimento da jogada a bola  sobra para André Gomes, que volta a rematar contra o braço de Yanga-Mbiwa na área... Faltou coragem e o arbitro mandou seguir.
Chegou o intervalo com 1-1 resultado que agradava muito aos ingleses e nada ao Benfiquistas.
A segunda parte começa tal como tinha começado a primeira. Com susto!
Aos 47 minutos da segunda parte
Cissé atira novamente ao poste! O senegalês surge solto nas costas da defesa encarnada (uma constante nesta eliminatória), após um passe a rasgar de Sissoko, e perante a saída de Artur, coloca por cima do brasileiro com a bola a embater no poste.
Eram já demasiados avisos e muita sorte.
Foi a ultima grande oportunidade para os visitantes. O Benfica foi tomando conta do jogo e só faltava um golo para desbloquear o jogo. O golo chegou aos 65 minutos. Santon fez uma assistência perfeita isolando Lima que parecia estar cinicamente á espera do passe. Á saída de Krul, Lima adianta a bola e já de anulo apertado faz o 2-1 para o delírio da luz.



Estava feita a reviravolta e esperava-se que o Benfica conseguisse o máximo de golos possível para ter uma ida a terras de sua majestade tranquila.
Três minutos volvidos grande penalidade a favor do Benfica.Steven Taylor corta com o braço na área, na sequência de um canto da direita. Desta vez o arbitro assinalou.
Cardozo converte com sucesso a grande penalidade mas o arbitro, não se sabe porque, mandou repetir.
Depois de marcar em força a primeira grande penalidade, o avançado paraguaio optou nesta segunda conversão por colocar a bola num misto de jeito e força não dando hipóteses a Krul.



Os 20 minutos finais foram disputados embora sem grandes notas de registo.
Embora o arbitro tivesse a obrigação de ter mostrado mais amarelos aos ingleses que aqui e ali jogaram bastante durinho.
Vitória por 3-1 que deixava antever uma segunda mão disputada mas com favoritismo dos encarnados.












quarta-feira, 3 de abril de 2013

É frut Ó Chocolate !!

Bem compilados!
10 anos de CORRUPÇÃO! 10 anos em que o Porko ganhou como ganhou.
Os corrutpos gostam e querem mais porque sabem que nada acontece! Não são punidos!
Merece a pena avivar a memória uma vez que muita coisa irá passar até final do nosso campeonato...
Aproveitem para ver antes que a mafia azul o tire da internet!

Video 1
Video 2



O Benfica segundo Alan Pardew

O treinador do Newcastle tem tido uma boca muito grande para falar do Benfica nos últimos tempos...
Tanto valoriza como desvaloriza, uma tentativa barata de fazer mind games de um homem que comanda os 15º classificados da liga inglesa.
Os jornalistas numa tentativa de depreciar o Benfica traduziram de forma tosca as palavras deste senhor que ajudam a dar um tom bastante depreciativo.
Já se fazem manchetes a dizer que o Benfica estaria nos 10 primeiros na liga inglesa.
A liga inglesa não é tão fácil como parece, no entanto se o Benfica tivesse metade do orçamento das equipas que estão no tal top ten, então arriscaria dizer que o Benfica estaria um pouco mais além do numero avançado por este senhor.
Mas, há males que aparecem por bem, eu pegava nisto e metia no balneário e exigia aos jogadores que corressem e marcassem golos como nunca!
É verdade que o homem também disse coisas agradáveis do Benfica, no entanto gostaria de ver o meu Benfica a dar uma prova inequívoca de força.