Translate

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Benfica 1 Paços de Ferreira 1 (3-1)

Oito anos depois o Benfica volta ao Jamor. Vindo de uma vantagem de 0-2 na primeira mão, esperava-se um encontro em que Jesus colocasse em campo algum jogadores menos utilizados. Erro. Jesus meteu a carne toda no assador (expressão novamente na moda) e entrou para jogo passando a mensagem que apesar de tudo o jogo era para ganhar.













No entanto, e de forma surpreendente, o Paços não nunca teve uma atitude de desespero e mesmo tendo o relógio (e marcador) foi sempre uma equipa algo previsível quando tentava atacar.
O jogo foi morno (para não dizer frio), nem o Benfica jogava o seu melhor nem o Paços buscava um golo que o pudesse relançar na partida.
O encontro chegou ao intervalo com algumas oportunidades para o Benfica (incluindo uma bola no poste após remate de Cardozo) e uma intervenção monumental de Artur que negou o golo ao Paços.
Na segunda parte mais do mesmo, jogo lento e previsível com as equipas a arrastarem o encontro.
No entanto, quem tem Cardozo, não pode jogar para o 0-0 e aos 54 minutos, após jogada de entendimento, Gaitan cruza do lado esquerdo para o centro da área onde estava Cardozo que com um remate a 105km/h inaugurou o marcador.
Segundos depois era como se nada tivesse passado. O jogo não alterava as suas caracteristicas e tudo era feito com a maior calma do mundo.
Aos 80 minutos, momento caricato com Maxi a assistir Cicero que não desperdiçou e fez o golo do empate. Foi o primeiro golo sofrido pelo Benfica na taça nacional.
Que pena ter sido assim...
Primeiro objectivo da época garantido!
O Benfica volta ao Jamor onde já foi feliz muitas vezes. Ficamos á espera de adversário.