Translate

sábado, 28 de setembro de 2013

Benfica 1 - Belenenses 1

Clássico na Luz.
Um Benfica-Belenenses que nos tempos de hoje já não suscita o interesse de outrora muito por culpa das épocas irregulares (e passagens pela segunda divisão) dos azuis.
O Benfica entrou bem no jogo e previa-se uma vitória fácil perante um conjunto que ocupava os últimos lugares da tabela.
O golo chegou aos 18 minutos por intermédio daquele que alguns tinham pressa em ver sair da Luz.
Cardozo, marcou após cruzamento de Lima (que cada vez mais vai perdendo preponderância, leia-se golos, na equipa). Estava feito o 1-0 e a equipa tinha agora tudo a seu favor. Resultado, tempo e serenidade.
Minutos depois Maxi envia uma bomba que passou muito perto da baliza do inglês Matt Jones.
Seria um golo espectacular.
O Belenenses, corria atras do resultado porém mostrava-se incapaz de contrariar o Benfica e apenas conseguia criar algum perigo através de rapidissimos contra ataques. No entanto a defesa ia chegando para as ameaças.
Até que aos 31 minutos Diakité gelou a Luz.
Canto da esquerda com
Diakité no centro da area a cabecear e a fazer o golo. Um golo que me deixou duvidas e que depressa ficaram dissipadas!




UM FORA DE JOGO E S C A N D A L O S O !!!
Mais.
Para mim, para além do duplo fora de jogo (embora só um interfira na jogada), existe também uma falta sobre o jogador Fejsa. É verdade que apenas um dos braços toca em Fejsa durante o salto mas no primeiro contacto o jogador sofre uma joelhada ficando assim impedido de saltar e disputar o lance...



Um lance todo ele ferido de ilegalidade e que, COMO É HÁBITO, foi validado com prejuízo claro do Benfica.
O Benfica acusou o golo e embora fosse mais forte e dominasse as operações não eram objectivos na hora de marcar.
Aos 38 minutos nova oportunidade para o Benfica através de Lima que vê o seu remate embater num defesa contrário.
O Benfica chegava assim ao intervalo com um empate injusto. A sua supremacia em termos de posse de bola não fora suficiente para fazer mais estragos.

 Os numeros são bem reveladores: 62% de posse de bola, contra 38% do Belenenses.
Vale o que vale, não sou admirador deste tipo de números, mas estes ajudam também a compreender o que se passava em campo. O Benfica ia com um empate para os balneários apenas e só PORQUE O ARBITRO QUIS. Não há que ter medo de o dizer.
A equipa visitante FOI UMA NULIDADE e chegou ao golo com...
UM FORA DE JOGO DE 2 METROS.

A segunda parte começou como a primeira.
O Benfica pressionava o Belenenses e tinha a bola todo o tempo embora não lhe desse o melhor destino Lima foge pela direita e cruza rasteiro para Cardozo. Este à entrada da área remata forte mas ao lado da baliza do Jones.
Dez minutos depois, o Benfica outra vez perto do golo e outra vez por intermédio de Cardozo.
Maxi cruzou para o cabeceamento de Cardozo, um pouco por cima da barra. Seria um golo igual ao da primeira parte.
Aos 70 minutos acontece isto:




Quase tão escandaloso como o golo IRREGULAR do Belenenses.
Os últimos 20 minutos foram de domínio avassalador apenas interrompidos por alguns contra-ataques dos visitantes.
O jogo chegaria ao fim com um empate a um golo numa partida FERIDA DE MORTE E ILEGALIDADE.
Muita gente se apressou a criticar a exibição do Benfica o que me leva a falar, uma vez mais na teoria do "dobro".
Isto é, o Benfica se quer ser campeão tem de jogar sempre o dobro dos adversários isto para que mesmo sendo ROUBADO (COMO FOI O CASO) acabe sempre por vencer.
Neste caso como não jogamos o dobro (fomos apenas muito melhores) não chegou para vencer.
Já os outros, possuidores de um futebol merdoso e sem qualidade nenhuma, são quase SEMPRE AJUDADOS (e meto o quase porque no Estoril sofreram um penalty que não era. Embora a expulsão do Otamendi aos 10 minutos também tenha sido esquecida por muitos!)
Este é o triste campeonato que temos.
Viciado e conspurcado pelo o Frutabol Corrupto do Porko