Translate

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Sport Lisboa e Benfica 2 - F.C.Porto 0

Clássico na Luz em dia de homenagem à lenda Eusébio.
Para Paulo Fonseca este Benfica não tinha segredos e tinha a certeza de uma coisa:

"Benfica altera estrutura quando defronta equipas fortes"

e aprofundou

"Segundo as indicações dadas nos recentes jogos, parece-me que o Benfica não vai jogar com dois avançados".


Um encontro sem segredos para o treinador do Porto.
Por outro lado Jesus avançou com o seguinte onze para defrontar o clube assumidamente corrupto:














Fazendo bluff ou não, o certo é que Jesus fez questão de desmentir Paulo Fonseca entrando com um onze inicial que demonstrava bem a ambição e objectivo da partida: Conquistar os três pontos.
Os primeiros minutos foram repartidos mas a pressão exercida pelo Benfica ia-lhe permitindo mais roubos de bola. O porto estava nervoso e isso notava-se.
Aos 13 minutos isolado por Markovic, Rodrigo aparece (descaído para a esquerda) e fuzila Helton.
Foi a loucura na Luz!































O Porto acusou o golo e embora conseguindo mais posse de bola não conseguia incomodar Oblak.
Por seu turno o Benfica mantinha-se um pouco na expectativa respondendo em contra-ataque e com mais perigo. Quanto ao arbitro, dava luz verde a toda e qualquer entrada dos azuis sem que as mesmas fossem sancionadas. Uma tentativa de encostar o Benfica!
Mas este Porto é tão mau, que se a ajuda não for através de foras de jogo ou penaltys, a água não chega ao moinho!
Como o cenário era preocupante e numa tentativa de empatar o jogo antes do intervalo o Sr. arbitro tentou!
Licá arranca um cruzamento na esquerda e Jackson na pequena área EM SITUAÇÃO DE FORA DE JOGO ESCANDALOSO, não consegue o empate.
Lance que seria validado uma vez que o arbitro não interrompeu a partida.
Seria apenas mais um golo do Porto na Luz em fora de jogo.
É tradição (e dará um outro post)




Os primeiros 45 minutos terminaram e o marcador era favorável ao Benfica.
A segunda parte começou tal como a primeira. Muita luta, muita correria e talvez um pouco mais de objetividade. A primeira equipa a dar sinal de perigo foi a equipa visitante através de um livre de Carlos Eduardo, porém Oblak estava atento.
O Benfica respondeu
e o porto cedeu canto.
Na sequência do canto, a bola sobrou para Matic que tenta cabecear e vê a bola ser "abafada" por Mangala!
Uma boa defesa com a mão esquerda.
Artur Soares Dias, bem colocado, mandou seguir... nem eu esperava outra coisa!





ESCANDALOSO!
No seguimento da jogada, o Porto torna a conceder canto.
Na sequencia do mesmo, Garay subiu mais alto que Mangala e bate Helton pela segunda vez.



Aos 61 nova oportunidade para o Benfica:
Rodrigo, completamente isolado na cara de Helton, remata com o pé direito no entanto por cima da barra.
 O Benfica, jogava melhor, tinha mais bola neste periodo e aplicava mais intensidade no jogo.
Apenas 7 minutos depois
Enzo cobra livre para a área, Matic antecipa-se a Helton mas cabeceia por cima.
Adivinhava-se um terceiro golo que acabou por não chegar.
Aos 73 Quaresma sofre penalty que o arbitro não assinalou!!!
Como é que é possível? Então o arbitro que o Porto trouxe não assinala isto?























Este e uma lei da vantagem não dada pelo arbitro são os únicos lances que o FCPorto se pode queixar.
Poucos minutos depois Danilo manda-se para a piscina. Segundo amarelo e rua.
Aos 92 minutos um dos momentos mais insólitos desta época!































Bola ao solo e cartão amarelo a Enzo!
Vitória justa da única equipa que se preocupou em jogar e ganhar. Sem medos.
O Porto foi jogar na expectativa...
Na expectativa que o Benfica jogasse sem garra e na perspetiva de ser ajudado, como sempre, pelo senhor do apito.
Não foi um jogo brilhante, mas foi um jogo de muita luta e querer.