Translate

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Benfica 3 - PAOK 0


O Benfica recebia em casa o PAOK no encontro da 2ª mão da Liga Europa.
Um encontro que assinalava uma marca histórica para Jorge Jesus.
O técnico celebrou o encontro numero 250 pelo Benfica.
Depois de uma vitória pela margem mínima na sempre difícil Grécia, o Benfica recebia os gregos e a estatística abria boas perspectivas:
O Benfica não perdia em casa nas competições europeias há nove jogos (8V 3E).
A última derrota caseira do Benfica (nas provas da UEFA) aconteceu diante do Barcelona, por 2-0, na primeira jornada da fase de grupos da Champions de 2012/13.
Para manter a estatística a nosso favor, Jesus alinhou com:


Desde logo destaque para a titularidade de Salvio que ,6 meses após lesão grave, aparecia a titular naquela que foi a sua 50ª aparição em jogos da Uefa (distribuídos entre Benfica e Atlético de Madrid).
Os primeiros minutos foram de domínio do Benfica que só aos 10 minutos chegaram á baliza contrária. 
Cardozo desmarca-se bem na área, passa pelo guarda-redes, e de ângulo muito reduzido, em esforço, remata à malha lateral. Estava dado o primeiro sinal de perigo.
Mas desta vez o PAOK não vinha só defender e apresentava-se um pouco mais atrevido.
Aos 14 minutos, numa dessas incursões, Athanasiadis remata forte fora da área, uma bola aparentemente fácil que Artur se encarregou de defender muito mal. A bola seguia para o fundo da baliza, mas o guarda-redes acordou e conseguiu evitar o golo em cima da linha.
O Benfica não se amedrontou com o lance e continuou com o seu jogo e aos 16 minutos
surge um cruzamento da direita para Cardozo que cabeceou ao primeiro poste com a bola a passar por cima da barra da baliza do guardião Glykos. Na repetição fica claro que Katso empurra Cardozo. Um penalty por assinalar.

Pouco tempo depois Silvio cruza para Garay ao 2º poste num lance que levava muito perigo, no entanto Lino limpou.
Aos 21 minutos novamente Silvio com um cruzamento venenoso. Valeu a atenção e intervenção do guardião grego que tirou o pão da boca a Cardozo que estava ao 2º poste.
Os gregos davam mais bola ao Benfica e apostavam no contra-ataque.
O Benfica ia levando algum perigo no entanto faltava concretizar.
Aos 33 minutos livre directo para o Benfica.
Cardozo bate, a bola desvia na barreira e Glykos defende por instinto.
A melhor oportunidade do Benfica na primeira parte.
Aos 42 minutos livre no mesmo local.
Os jogadores decidem tentar um livre estudado no entanto foi mal executado
Foi a ultima oportunidade do jogo na primeira parte que terminou com um nulo a zero bolas e uns expressivos 65% de posse de bola para a equipa da casa.
A segunda parte começou diferente e nos primeiros 10 minutos vimos um PAOK verdadeiramente interessado em virar a eliminatória, tinha mais bola, atava sem reservas no entanto sentia muitas dificuldades em penetrar na defesa do Benfica.
No Benfica entraram Lima e Markovic e o Benfica voltou ao controlo das operações.
Aos 69 minutos Lima sofre falta  quando já se preparava para ficar isolado na cara do guarda redes.
Foi travado á entrada da área por Katsoranis, o que lhe valeu um cartão vermelho directo.
Katsouranis, que alinhou no Benfica de 2006 a 2009, saiu aplaudido de pé ao abandonar o relvado da Luzpelo caminho encontrou Luisão...



Do livre Gaitan marca um livre perfeito e coloca a bola dentro da baliza dos gregos.
Pura classe!



Estava feito o 1-0 a 20 minutos do fim e a eliminatória estava muito mais difícil para os gregos.
Apenas 8 minutos depois mão dentro da área grega. Grande penalidade para o Benfica.
Chamado a bater, Lima não desperdiçou.
Lima revelou-se fulcral.

Arrancou o livre que deu o primeiro golo e marcou o segundo de grande penalidade.Apenas um minuto mais tarde foi a vez de Markovic inscrever o seu nome na lista dos marcadores. Isolou-se e, na cara de Glykos, não desperdiçou.

O encontro terminou com um esclarecedor 3-0 (4-0 na eliminatória)
.
Próximo adversário: Tottenham.


segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Benfica 1 - Vitória de Guimarães 0


Antes do inicio do encontro homenagem ao nosso capitão!
O  "Xerife" comemorou 400 jogos com a camisola do
Sport Lisboa e Benfica.
Tudo começou a 14 de setembro de 2003, num embate que oponha Benfica e Belenenses que registou um ridiculo 3-3 no final. Bons tempos...
Na ficha de jogo constava Luisão que acabaria por marcar nesses jogo o seu primeiro golo com o manto sagrado!
Hoje, com 33 anos, é uma das grande referencias na equipa do Benfica e faz parte de um lote muito restrito de jogadores que representaram o nosso clube por mais de 400 vezes.
Nené,  575 presenças, Veloso (538), Mário Coluna (525), Humberto Coelho (498), Shéu (487), Bento (465), António Simões (449), Eusébio (440) e Cavém (420). A este lote juntou-se Luisão.

OBRIGADO, CAPITÃO!!

Na véspera do encontro S.L.Benfica - Guimarães os jogadores recebiam, durante o estágio, uma optima:
Os corruptos acabavam de ser derrotados pelo Estoril em pleno Dragão.
Uma oportunidade ouro para, no dia seguinte, ampliar a vantagem para os azuis corruptos.
Para tal, Jesus alinhou com:




O jogo começou como todos esperavam.
O Benfica carregou no acelerador e logo no primeiro minuto teve uma grande oportunidade por intermédio de Rodrigo.
No entanto o hispano-brasileiro permitiu a intervenção do guardião Vimaranense.
Um inicio de partida que prometia muito.
No entanto aos 4 minutos o arbitro teve de interromper a partida devido a um choque violentíssimo entre Enzo e Jardel.



Num primeiro momento não parecia grave.
Mas no final da partida podemos ver o sacrifício que o jogador fez!
Já li numa pagina Benfiquista que não havia necessidade em ter o jogador em campo.
Posso concordar. Impressiona o rasgo que necessitou de 18 pontos para fechar.
No entanto, devemos perceber que a vontade de Jardel jogar é muita!
É um jogador que está na sombra de Luisão e Garay e quer aproveitar tudo o que pode!
Se o mesmo dá sinal ao treinador que pode continuar, se os médicos não contrariam o jogador...
Pessoalmente, gosto deste tipo de jogadores!
Isto demonstra o quanto lhes importa o clube a até pode ir para defender as nossas cores!
Até hoje tem tido uma atitude exemplar (mesmo jogando pouco) e ao mostrar toda esta capacidade de sacrifício só podemos estar felizes!
RECUPERA-TE!
O ritmo do jogo entretanto decaiu bastante e isso beneficiou o Vitória de Guimarães que foi aproveitando para ter alguma bola e lançar alguns contra ataques.
A primeira defesa de Oblak foi aos 22 minutos e não inspirou grandes cuidados.
Aos 29 minutos jogada bonita do Benfica! Arrancada fulgurante de Markovic que abre na direita para Rodrigo, que cruzou de imediato para o coração da area onde estava Suli. No entanto valeu Paulo Oliveira que tirou aquilo quer seria o primeiro golo da noite.
Aos 31 minutos novamente
Markovic desta vez no corredor esquerdo.
O sérvio cruza para a área uma vez mais para Sulejmani, que ao não rematar de primeira  acabou por não conseguir finalizar.

Aos 36 minutos o Guimarães quase festeja golo.
Maazou, á entrada da área, remata com perigo, mas Oblak estava muito atento e com a ponta dos dedos evitou o golos dos visitantes.

Mas quatro minutos depois gritou-se golo na Luz.
Markovic aproveita da melhor maneira um grande passe de Rodrigo e aparece na cara do guardião Douglas...
depois fez magia. Colocou a bola por cima do guardião, fez a recepção da mesma e empurrou gentilmente para o fundo das redes.


(Ver golo aqui)

Um golo que premiava não só em Benfica, mas em especial o jovem sérvio que foi durante toda a primeira parte o grande motor do Benfica com arrancadas e jogadas que iam deixando a defesa contrária á beira de um ataque de nervos.
Nuno Almeida apitou e o intervalo chegou com a vantagem minima a favor do Benfica.
A segunda parte foi bastante primeira.
O Benfica vinha com o objectivo de controlar como faz sempre. Não só controlou como relaxou e isso sim, pode trazer dissabores.
Apesar disso e reconhecendo que o Vitória atacou mais, também é verdade que os Vimaranenses só andaram por onde a turma de Jesus permitiu.
A unica exepção foi aos 52 minutos quando Maazou cabeceou à baliza valendo a intervenção de Oblak.
No entanto dois minutos antes Sílvio, de pé direito e de fora da área rematou violento para  Douglas brilhar!
O tempo ia passando e era favorável ao Benfica que se limitava a gerir o encontro sem no entanto descurar o ataque.
Aos 83 minutos a ultima grande oportunidade de golo do jogo.
Lima aproveita um passe de Rodrigo  e isola-se ficando na cara de Douglas. No entanto rematou ao lado. Grande perdida de Lima...

Vitória magra que no entanto não merece contestação quanto à sua justiça.






PS:






domingo, 23 de fevereiro de 2014

Efeito Oblak

Avança hoje o pasquim Rascord que os guarda redes do Benfica fizeram 7 defesas nos últimos 6 jogos.


Mais do que essa analise tão superficial, seria importante analisar a razão ou razões pela quais isso acontece.
Quem são os culpado?
Todos os anos a direcção reserva uma surpresa e a deste ano foi a venda do Matic (o próprio admitiu que queria sair e portanto FOI BEM VENDIDO!).
Quando muitos esperavam uma catástrofe com a sua saída, a verdade é que o Benfica mostra-se sempre forte, coeso e convincente! Até agora não fez falta absolutamente nenhuma!
Custa escrever isto, mas é a verdade! Até agora não senti a sua falta!
O Benfica tanto joga em "batatais" como em relvados e o resultado é quase sempre o mesmo.
É verdade que Oblak entrou com vontade e nem mesmo o frango que deu em Barcelos parece ter abalado a sua confiança.
No entanto os responsáveis não são apenas Oblak e Artur.
Todos tem sido fenomenais mas sem duvida que o nosso sector mais recuado tem estado imperial!
Luisão, Garay e Jardel (ainda agora contra o Paok) tem-se mostrado à altura.
Maxi parece querer voltar aos bons velhos tempos e Siqueira pode render muito mais quando deixar de entrar á queima. No entanto, quando não se tem um Emerson é mais fácil falar.
Depois Enzo, Fejsa e Amorim tem sido igualmente incansáveis no apoio à defesa.
Gaitan é (a par de Enzo) o melhor jogador do Benfica, defende, ataca, pauta e dá alegria ao nosso jogo.
Quanto ao resto é o que se vê: o Benfica não deixa o adversário respirar, transições rapidas e muito bem conseguidas o que revela um trabalho sério! Parece fácil, mas não é!
Para além destes obreiros já mencionados, falta apenas fazer referencia ao chefe da obra:
Jorge Jesus.
Não é surpresa para quem segue o blogue.
Acho que o Benfica joga como nunca, defende como muito poucos e quase sempre consegue impor o seu estilo de jogo.
Convém não esquecer que este é o homem que ninguém que queria para esta época!
Este é o homem que o ano passado perdeu tudo!
Mas se perdeu é porque o Benfica chegou lá! disso poucos se lembram!
O mais difícil é chegar a uma final!
É como marcar um penálti, só falha quem la vai.
O Benfica iniciou esta época despedaçado mentalmente, entrou mal no campeonato...
No entanto, aquele que não presta, aquele que inventa e que devia ser substituído pelo Marco Silva (QUEM?!) conseguiu, uma vez mais, pegar na equipa e estar agora isolado na tabela classificativa.
Estamos na Taça da liga, Taça de Portugal e ainda andamos na Europa onde jogamos com sete suplentes e vencemos onde ainda ninguém tinha vencido.
É muito difícil dar mérito a Jesus e muito fácil dizer que Oblak é o melhor do mundo.
Sei que ainda não ganhamos NADA!
Sei que ainda faltam muitos jogos!
Mas estamos no bom caminho.
Manter o apoio à equipa é FUNDAMENTAL!
Jesus conseguiu, uma vez mais, recuperar o nosso Benfica e para sermos campeões devemos estar todos no mesmo barco!

TODOS AO ESTÁDIO!

E Pluribus Unum

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

PAOK 0 - Benfica 1 (Liga Europa)

Um jogo num pais tradicionalmente difícil para o Benfica.
Um jogo contra o segundo classificado da liga grega que não conhecia o sabor da derrota em casa!
Um jogo que começou bastante mal nas redes sociais!
Jesus acabava de inventar na opinião dos já tradicionais treinadores de bancada e o jogo estava perdido.
Jesus, o merdas que inventa, fez alinhar:


As equipas entraram em campo e inferno grego fez-se sentir!
Um ambiente hostil e adverso prometia fazer estragos numa equipa a jogar com 7 habituais suplentes.
Após o apito inicial o Benfica escondeu a bola e como disse, e bem, Freitas lobo, tirou as balizas do jogo.
Com os 7 habituais suplentes, o Benfica dominou e manietou o adversário como quis durante 90 minutos.
Em boa verdade devemos dizer que nos primeiros 45 minutos nenhuma das equipas teve grandes oportunidades e a única do PAOK foi uma perda de bola em zona proibida de Amorim.
Mas ainda assim devemos reconhecer que o Benfica era superior em toda a linha. Faltava apenas o golo, que não surgia quer por culpa do "autocarro" defensivo por parte dos gregos quer por falta de ideias e velocidade nos últimos 30 metros.
O intervalo chegou com um justificado nulo no marcador!
Em tempos idos isso era preocupação!
Mas hoje em dia, isso não é sinal de qualquer problema!
Isto porque as equipas de Jesus marcam sempre!
O segundo tempo iniciou-se tal como o primeiro. O PAOK com o tal "autocarro" e o Benfica a espreita de uma oportunidade que chegou aos 59 minutos.
Bola bombeada para o centro da área, recepção de peito de Djuricic e Lima, oportunista, fuzilou o guardião da casa.
No entanto foi um golo obtido em fora de  jogo, o chamado golo "á lá Montero".
No Benfica não gostamos dessas coisas, nem sequer estamos habituados, mas o arbitro validou mesmo aquilo que viria a ser o único golo do encontro.
O inferno por estas alturas estava frio, mas depois do golo congelou.
A perder os gregos mexeram na equipa e vieram para cima mas o Benfica deu uma imagem de total controlo e abafou tudo o que havia para abafar.
Neste período podíamos ter dilatado a vantagem mas algumas desatenções assim não o permitiram.
Vitoria na primeira eliminatória por 1-0 num terreno difícil perante um PAOK que sofreu a primeira derrota casa.
Grande atitude de todos os jogadores!

Após o apito final também tempo para louvar o trabalho deste Benfica de Jesus com encorajadores:
"Inventou, mas teve sorte!"...

Sorte teve o Porto a jogar contra o... coiso!


Ps: Salvio teve ontem os primeiros minutos e pode ser um reforço de peso para esta segunda volta!
Mais importante que tudo é já o próximo jogo em casa para o campeonato!


TODOS AO ESTÁDIO!!!!


domingo, 16 de fevereiro de 2014

Paços de Ferreira 0 - Benfica 2

Embate entre Paços e Benfica num jogo que se espera sempre complicado quer pela atitude dos castores, quer pelas dimensões reduzidas do campo.
Jesus escalou o seguinte onze inicial:



O Benfica entrou bem no jogo e tentou controlar as operações desde o inicio.
As primeiras tentativas de golo surgiram ao minuto 25 e 26, no entanto quer Luisão quer Rodrigo não foram capazes de inaugurar o marcador.
O jogo desenrolva-se ao ritmo do Benfica que inevitavelmente via a sua ofensiva esbarrar na muralha defensiva dos visitados.
Aos 44 minutos uma pérola do senhor arbitro Duarte Gomes.
Lima sofre falta por trás e o senhor decide amarelar Siqueira...
O intervalo chegou com um nulo no marcador.
Aos 51 minutos nova oportunidade para o Benfica.
Canto marcado por Gaitán, desvio no primeiro poste com a bola a sobrar para Luisão, que desperdiça e atira ao lado.
Apenas 3 minutos mais tarde e por intermédio do outro central o Benfica inaugura o marcador.

Cruzamento de Ruben Amorim para o central argentino que livre de marcação ao segundo poste cabeceou de forma certeira.
Estava feito o 0-1, a equipa da casa tinha agora que atacar mais e isso iria certamente originar mais espaços.



Tal aconteceu e 15 minutos mais tarde
na sequência de um contra-ataque o Benfica chegou mesmo ao segundo golo da noite. Rodrigo disputa uma bola já depois do meio campo com o ultimo homem da defesa do Paços. Com alguma sorte a bola sobra para Markovic que galgou até a área  do Paços e desferiu um remate seco e certeiro batendo Degrá.



Estava feito o 0-2.
Até ao fim do jogo o Benfica limitou-se a controlar o jogo gerindo a vantagem da melhor maneira.
Mais três pontos obtidos num "batatal"



Um jogo difícil em que o Benfica foi obrigado a jogar muitas vezes feio para conseguir o que mais interessa. Um Benfica operário que não teve problemas em meter mãos á obra para vencer.
O ambiente esteve espetacular!!
Apoio incondicional!



Por ultimo, destaque também para o senhor arbitro que conseguiu dar 5 amarelos aos jogadores do Benfica, dos quais dois, Maxi e Gaitan, não poderão jogar no próximo jogo.
Espero por isso uma surpresa arbitral para o embate com o Guimarães.






terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Benfica 2 Sporting 0


Na primeira tentativa de derby S.Pedro não ajudou e o jogou ficou adiado.
Em boa hora.
Evitou-se uma tragédia e assistimos a algo novo em Portugal:
Tomar boas decisões em tempo recorde.



O encontro foi adiado para dia 11 dando tempo a que tudo fosse inspecionado para que o jogo se pudesse realizar em segurança.
Muito foi dito mas eu não entro nesse jogo.
Não é a minha área, não sou especialista e portanto não opino.
Apenas digo, a julgar pela imagem em cima, que se evitou uma tragédia.
Portanto, parabéns a todos os que tomaram esta decisão.
Chegados ao dia 11, nova rumaria à Luz.
Um derby com muita história!
301 jogos oficiais, em 109 anos de história.
O Sporting há oito anos que não vence na Luz e há sete épocas que não festeja qualquer golo.
Sintomático.

Leonardo Jardim manteve o seu 11 mas claramente sem efeito surpresa.
Jesus fez alinhar:




O Benfica entrou fortíssimo no jogo!
Minuto 1- fifia da defesa do Sporting, Gaitan entra na area, tenta rematar, mas o seu remate acaba por ser placado.
Aos 5 minutos- Rodrigo na area, desacaido na direita remata a baliza de Patricio, mas ao lado.
Aos 11 minutos- Lima quase marca de cabeça (sem querer) após mau alivio de Patricio.

Aos 18 minutos- o Sporting dá o primeiro sinal de vida por intermédio de Slimani. No entanto estava em fora de jogo.

Aos 22 minutos- tudo volta ao normal e o Benfica volta a aparecer com perigo.
Roubo de bola de Fejsa, correria de Rodrigo que assiste Markovic. O sérvio,  já na área, remata fraco e à figura.
Minuto 23 mais um PENALTI POR MARCAR A FAVOR DO BENFICA:




Minuto 24- após um canto 
Luisão surgiu ao primeiro poste e desviou para a baliza, com o pé, com a bola a passar muito perto do poste esquerdo de Patrício
Minuto 26- Rodrigo na zona central remata com a bola a ressaltar em Rojo e quase faz golo,
Rui Patrício atento, defendeu para canto.

Minuto 27- cruzamento de Maxi na ala direita para Gaitan, que dentro da area cabecea, com a bola a passar por entre as pernas de Rui Patrício.



Do minuto 30 ao minuto 37 o Sporting tentou responder bombeando algumas bolas para a área que foram afastadas sem qualquer perigo para a baliza de Oblak.
No entanto estes 7 minutos não foram suficientes para alterar a tendência.
Aos 40 minutos de jogo o Benfica tinha 64% de posse de bola.
Indicativo do dominio avassalador do Benfica.
Minuto 41- Gaitán na área remata de pé direito, em jeito por cima de Patrício, no entanto falho o alvo. Seria um golo de belo efeito.
O intervalo chegou com um escasso 1-0.
O Benfica teve muitas oportunidades e podia ter um marcador mais dilatado.
A equipa de Jorge Jesus estava a apenas 45 minutos de somar 17 partidas sem perder.
A segunda parte começou como tinha terminado a primeira.
Aos 49 minutos - Jogada bonita desde a defensiva do Benfica, transição rapidissima com a bola a chegar a Markovic à entrada da área. Este, com um passe "à Poborsky" por cima da linha defensiva, isola Rodrigo, que remata de primeira, mas ao lado do poste.
Aos 63 minutos o primeiro lance de perigo do Sporting.
Heldon passou pelo meio de dois defesas do Benfica e rematou em jeito. No entanto a bola passou por cima da barra.

Minuto 67- Rodrigo entra na área, trabalha e consegue rematar em zona frontal com Patrício a ceder canto.
Minuto 75- Rodrigo isolado na cara de Patricio permite defesa do guardião leonino.
Minuto 76-  Uma obra de arte de Enzo!



Aos 83 minutos Montero remata a baliza do Benfica de fora da area, no entanto Oblak defendeu fácil.
Aos 84 minutos destaque para a entrada de Cardozo num jogo onde normalmente é a figura principal.
Depois de uma lesão e de uma paragem ainda procura a sua melhor forma.
O jogo terminou com um escasso 2-0 num jogo em que o Benfica foi sem qualquer sombra de duvidas a melhor equipa em campo.
O Sporting tentou jogar mas foi aniquilado por uma pressão alta que não deu muitas hipóteses.
O Benfica consolidou a liderança com 43 pontos estando agora a 4 pontos do segundo classificado (corruptos) e a 5 pontos do terceiro classificado (Sporting).

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Penafiel 0 - Benfica 1 (Taça de Portugal)


Jogo dos quartos de final da Taça de Portugal.
O Penafiel, um dos líderes da segunda divisão, recebia o Benfica em sua casa para discutir a passagem à próxima fase.
Com um calendário apertado e em vesperas de receber o Sporting Clube de Portugal, Jesus fez alterações na equipa e fez alinhar apenas 2 habituais titulares:






Esperava-se um jogo com sinal  mais para o Benfica. Mas não tanto.
Foi um jogo sem história onde só uma equipa buscou a vitória.
O Benfica entrou bem na partida e aos 9 minutos teve a sua primeira oportunidade.
Cruzamento para a área com Jardel sozinho na pequena área a errar a baliza.
Um minuto depois
Sulejmani recebe na esquerda, entra na área e remata para uma boa defesa de Coelho.
O Benfica dominava a seu bel-prazer no entanto pecava na finalização muito por culpa do super autocarro estacionado em frente à baliza do Penafiel.
A primeira parte chegava ao fim com um nulo no marcador.
Na segunda parte mais do mesmo.
Um domínio absoluto do Benfica com muita posse de bola sem que no entanto o marcador se alterasse.
Até que ao minuto 83
Sulejmani recebe na esquerda e, já dentro da área, remata rasteiro, batendo Coelho pela primeira e ultima vez na partida.
Pouco tempo depois o encontro chegava ao fim com uma vitoria justa, suada e escassa do Benfica que assim carimbou o acesso às meias finais da Taça de Portugal.

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Gil Vicente 1 Benfica 1

O Benfica entrava em campo já com o conhecimento da derrota do Porto.
Uma boa oportunidade para ampliar a vantagem para o clube corrupto!
Jesus alinhou com:


No entanto cedo se percebeu que o Benfica iria ter como principal adversário o campo.
Um autentico batatal que prejudicou e muito o espetáculo.
Aos 11 minutos o Benfica podia ter festejado golo, no entanto o relvado impediu que assim fosse...

Apesar do mau estado do relvado, o Benfica manteve a bitola habitual:
Mais posse de bola, jogo controlado no entanto o marcador mantinha-se bloqueado.
Aos 37 minutos, Siqueira recebe cartão amarelo por se desequilibrar dentro da área (o que até é bastante aceitavel perante aquele "ervado"). Amarelo esse que viria a ser prejudicial mais tarde...
O jogo foi para intervalo com um nulo.
A segunda parte começa como terminou a primeira.
O Benfica no domínio das operações.
Aos 51 minutos, Maxi Pereira arranca pela direita e cruza para a pequena área, onde surge Rodrigo a desviar de pé esquerdo. No entanto o avançado espanhol estava a ser agarrado por João Vilela.
Uma grande penalidade que fica por assinalar.




Aos 58 minutos Siqueira recebe o segundo cartão amarelo (justamente) e é expulso. O único reparo que faço é sem duvida ao primeiro amarelo uma vez que não se tratou de uma simulação. Enfim, dou o beneficio da duvida ao arbitro. Aos 59 minutos temos este lance:



O arbitro assinalou grande penalidade (que remédio) no entanto apenas admoestou com cartão amarelo.
Parece bastante pouco uma vez que nem sequer tenta disputar o lance.
O que eu vi e ainda vejo neste lance é uma agressão!
Chamado a bater, Lima fez o 0-1 para o Benfica.


O Benfica estava em desvantagem numérica e em vantagem no marcador.
O assédio Gilista não demorou e os lances começaram a suceder até que ao minuto 73 a equipa da casa chega ao golo.
Canto na direita, Luisão alivia de cabeça para a entrada da área, na ressaca do lance, Vítor Gonçalves remata forte de primeira, com Oblak a ser muito mal batido.
O Benfica, apesar de reduzido a 10 unidades não abdicava do ataque e aos 83 ve Cardozo desperdiçar uma grande oportunidade.
Já no período de descontos Bruno Paixão assinala uma grande penalidade que todos consideraram inexistente. Na minha opinião é BEM ASSINALADO! Não vou discutir intensidades, mas neste lance não existe carga de ombro como fizeram querer! existe carga... enfim, existe isto:

A imagem é de má qualidade, mas dá para ver que existe contacto com tudo menos com o ombro.
Fica ao critério de cada um.
Chamado a bater, Cardozo falhou e o Benfica viu assim gorada a possibilidade de garantir os três pontos.
O Benfica terminou o encontro com uma igualdade no marcador que castiga em demasia a turma de Jesus. O Benfica jogou o suficiente para sair de Barcelos com os 3 pontos apenas o campo e a desinspiração de Cardozo privaram o Benfica de o fazer. Segue-se o Penafiel para a taça de Portugal.