Translate

sexta-feira, 14 de março de 2014

Tottenham 1 - Benfica 3 (L.E)

Embate europeu com algumas mexidas no onze inicial tal como Jesus já tinha anunciado.




A grande surpresa foi na baliza. Quando todos esperavam Artur na baliza, Jesus optou por Oblak que fez assim o seu primeiro jogo nesta prova (muito inteligente Jesus).
Quanto ao resto quatro mexidas em relação ao "onze" que iniciou com o Estoril. Oblak, como já referi, Sílvio na direita, Rúben Amorim no centro, Sulejmani na esquerda, Cardozo no ataque.
Quando um clube tem suplentes assim...
O jogo começou algo atabalhoado mas com uma intensidade elevada.
A equipa do Benfica estava mais na expectativa e ia permitindo que a equipa de Londres mais posse de bola no entanto os Spurs não sabiam muito bem o que fazer com ela.
O minuto 20 marcou o jogo. Foi a partir de ai que o Benfica começou a reclamar a bola para si.
Nem sempre jogando bem (houve pouca ligação entre defesa/meio campo) o Benfica ia, nesta fase, apostando em contra ataques rapidíssimos por intermédio de Markovic ou Sulejmani (que aos 9 minutos já tinha arrancado um cartão amarelo a Sandro).
O Benfica foi crescendo e aos 30 minutos apareceu o tão desejado golo.










Grande passe de Ruben Amorim (que rasgou a defensiva inglesa) para Rodrigo que enquadrou-se com a baliza e com o seu melhor pé colocou a bola dentro da baliza do Tottenham inaugurando o marcador.
O Benfica fazia golo no seu segundo remate à baliza.
No estádio temi que o Tottenham tivesse uma reacção ao golo. Eles tentaram.
Mas o Benfica não deixou.
Nesse momento o Benfica subiu as suas linhas defensivas e a equipa da casa não conseguia levar perigo à baliza de Oblak. O Benfica era melhor em todos os capitulos e dominava o jogo de uma forma inquestionável.
Dentro do relvado o Benfica dominava. Nas bancadas os cerca de 3000 adeptos dominavam por completo  o White Hart Lane.














O intervalo chegou com um 0-1 no marcador
Na segunda parte o Tottenham dispos da primeira oportunidade logo nos minutos iniciais por intermédio de Adebayor que rematou forte mas ao lado. Estava dado o aviso.

No entanto o Benfica não se intimidou e na resposta
Rodrigo apareceu bem posicionado à entrada da área. O Hispano-brasileiro não foi feliz e a sua tentativa de chapéu a Lloris deu em nada.
Bola cá, bola lá, O Benfica levava sempre mais perigo que os ingleses.

O Tottenham tinha alguma posse de bola mas sempre em terrenos que não representavam qualquer perigo para a baliza de Oblak. Era uma posse de bola consentida.
Aos 56 minutos Amorim rouba a bola, combina com companheiro, e à entrada da área remata forte para Llrois desviar para canto.
Na sequência do canto novo golo para o Benfica.
Canto batido na esquerda por Rúben Amorim e Luisão surge solto ao primeiro poste cabeceando a bola para o fundo das redes inglesas.


                                       

Estava feito 0-2 e a tarefa para a equipa da casa apresentava-se dificil.
Mas ainda faltavam muito tempo e esta equipa inglesa pode de um momento para o outro trazer problemas.
O Benfica estava a pouco mais de 30 minutos de fazer historia.
Podíamos ser a primeira formação portuguesa a triunfar em White Hart Lane e estavamos a minutos de infligir a uma derrota europeia ao Tottenham que não perdia há 11 jogos em jogos europeus.
Mas os Spurs estão recheados de bons jogadores que de um momento para o outro podem fazer estragos e foi isso mesmo que aconteceu aos 64 minutos.
Na cobrança de um livre directo faz um golo espectacular e reduzia para 1-2.
Percebendo que os ingleses podia crescer com o golo Jesus decide "acabar" com o jogo e lança Enzo e Gaitan.
São dois jogadores fantásticos que com a sua entrada deram outra lufada ao futebol encarnado.
O Benfica tinha controlo total no jogo.
Aos 73 minutos o Benfica esteve proximo do 3º golo.
 Passe longo de Luisão, Lloris hesita ao sair da baliza e é ultrapassado pela bola e por Rodrigo. No momento em que o Hipano-brasileiro se preparava para ficar com a bola, Lloris recupera e consegue, com uma palmada, desviar in extremis  para canto.

Sherwood tornava a mexer na equipa e colocava a carne toda no assador colocando Soldado em campo para fazer dupla com Adebayor. Sem duvida uma dupla de respeito.

No entanto seria mesmo o Benfica a marcar novo golo.

                                                                               
Livre batido por Gaitán, Garay cabeceia para defesa de Lloris e na recarga Luisão fuzila sem dó nem piedade.
Estava feito o 1-3 e a vitória era agora uma certeza.
No ultimo lance da partida Siqueira tem uma oportunidade de ouro para matar a eliminatória no entanto desperdiçou.
Vitória clara que apenas pecou por escassa dado o numero de oportunidades do Benfica.