Translate

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Mais uma promessa

Kevin Friesenbichler, avançado que atuava no Bayern Munique B, assinou pelo Benfica por quatro temporadas.
O jovem atacante austríaco é esquerdino, tem 20 anos e uns impressionantes 1,88 metros.

Kevin Friesenbichler é internacional pela Áustria em todos os escalões jovens, até aos sub21 e foi contratado pelo Bayern Munique, no verão de 2010, ao Admira.
Esta temporada apresentou números bastante interessantes:
Em 21 jogos pela equipa B dos bávaros, Kevin Friesenbichler marcou 14 golos e nove assistências.



Nome: Kevin Friesenbichler
Posição: Avançado
Nascimento: 1994-05-06 (20 anos)
Nacionalidade: Austríaco
Altura: 1,88 m
Peso: 75 kg
Clubes: Admira Wacker, Bayern

terça-feira, 20 de maio de 2014

Polaco na Luz

Futebol: Pawel Dawidowicz assinou pelo SL Benfica

"O Sport Lisboa e Benfica informa que contratou Pawel Dawidowicz, jovem médio polaco, ex-Lechia Gdansk. O jogador rubricou contrato com o Clube válido para as próximas cinco temporadas desportivas.

Dawidowicz completou 19 anos de idade precisamente esta terça-feira e tem 1,88m de altura. Revela características técnicas para jogar na posição de médio defensivo"

domingo, 18 de maio de 2014

SL Benfica 1 - Rio Ave 0 (Final da Taça de Portugal)

Como já seria de esperar estádio do Jamor cheio para receber esta final entre Benfica e Rio Ave, com os Benfiquistas em grande maioria, o Benfica disputava esta final num mini estádio da luz.
Vindo de uma derrota na final da Liga Europa frente ao Sevilha, o Benfica tinha uma oportunidade histórica:
Limpar todos os trofeus nacionais em disputa da época 2013/2014.
Para tal Jesus lançou os seguintes:



O Benfica entrou a matar no jogo!
Sempre pressionante o Benfica encostou por completo a equipa do Rio Ave à sua defesa.

Os encarnados eram dominadores mas curiosamente foi a equipa do Rio Ave a criar o primeiro lance de grande perigo por intermédio de Tarantini que num remate cruzado de com o pé direito fez a bola passar ao lado do poste direito da baliza de Oblak.
No entanto a toada do jogo mantinha-se: um Benfica mandão que via o seu adversário totalmente remetido à sua defesa.
Não foi por isso surpresa que o Benfica tenha chegado ao golo.
Gaitán recebe à entrada da área e remata ao ângulo, com o pé direito.
Um grande golo que levantou o Jamor!



Aos 25 minutos o Benfica quase chega ao segundo golo.
Livre cobrado por Gaitán para um desvio de cabeça venenoso de Garay já na pequena-área. No entanto Ederson salvou o Rio Ave com uma defesa por instinto.

Apenas dois minutos depois Filipe Augusto "toca" na cara de Enzo.Um lance em que fica a duvida se existe agressão ou não. A duvida era a cor do cartão!
Carlos Xistra advertiu apenas verbalmente o médio do Rio Ave.


















O Benfica continuou com o seu domínio mas sem criar grande perigo que justificasse uma mexida no marcador. Por seu turno a equipa do Rio Ave teimava no seu comportamento ultra defensivo e nunca foi verdadeiramente capaz de incomodar o Benfica.

Na segunda parte tudo mudou!
Um Rio Ave a todo o gás estava disposto a dar a volta ao marcador mas só tinha 45 minutos para o fazer.
Por outro lado um Benfica esgotado tinha a vantagem do seu lado mas já não tinha pernas para a defender convenientemente.

Logo aos 47 e 48 minutos o Rio Ave cria as primeiras oportunidades de perigo mas a defesa do Benfica e Oblak foram mais fortes.

O jogo entrou numa fase em que embora com mais bola o Rio Ave entrou num periodo em que não incomodava o esgotado Benfica. No entanto os homens de Jesus iam anulando apenas através do seu posicionamento.

Com maior ou menor dificuldade o Benfica ia afastando o perigo e aos 61 minutos quase marca o segundo.
Boa e rápida jogada dos homens de Jesus com a bola a sobrar na zona central para Lima  rematar.
No entanto um desvio em Rodriguez para canto evitou a ampliação do marcador.

Apenas dois minutos depois era a vez do Rio Ave gerar o panico na area do Benfica.
Cruzamento de Braga a rasgar e Pedro Santos com o pé esquerdo remata para a baliza de um Oblak já batido. Valeu o poste que devolveu o esférico.

Aos 69 minutos novo lance de perigo para a baliza do Benfica.
Ukra recebe a bola à entrada da area e dispara com violencia. No entanto Oblak estava atento e uma vez mais negou o golo.


Aos 70 minutos o Rio Ave na continuação do assédio à baliza de Oblak volta a criar perigo.
Canto na direita e cabeceamento de Marcelo na zona central, sem qualquer tipo de marcação.
No entanto a bola foi para fora.

Volvidos 5 minutos o Benfica lança um contra ataque que quase termina em golo.
Cruzamento da direita, Gaitán deixa passar a bola para Markovic que surge isolado.
O remate sem muita colocação acaba por ser intercetado por Ederson.
1

Até ao final um par de lances de perigo para cada lado onde os guarda-redes se sobrepuseram aos ataques.
O Benfica terminaria o jogo com uma magra vitória por 1-0 fazendo assim o "triplete":
Campeonato, Taça de Portugal e Taça da Liga.



O sonho do treinador Jesus estava alcançado e pessoalmente alegro-me por isso.
Por tudo o que passou o ano passado, pela chacota, pela pressão e pelo descrédito e acima de tudo, pela maneira como conseguiu, uma vez mais, fazer com que os jogadores acreditassem em si e no clube, é um justo vencedor de cada um dos troféus que conquistou esta época!

Parabéns, Benfica!
Parabéns, Jesus!


quarta-feira, 14 de maio de 2014

Final da Liga Europa: Sevilha FC 0 - SL Benfica 0 (4-2 após grandes penalidades)

Pelo segundo ano consecutivo o Benfica chegava à final da Liga Europa depois de bater na meia final a poderosa Juventus que ficou assim impedida de jogar a sua final em casa.
Um jogo em que o Benfica seria super favorito se não tivesse sofrido uma sangria no meio campo na meia final. Os castigados Markovic, Enzo e Salvio não estariam presentes e essas ausências obrigavam a retirar o SUPER para apenas favorito.

Para tentar conquistar a taça Jesus alinhou com:



O Benfica iniciou o jogo confiante e partiu desde logo para cima da equipa espanhola.
Os pupilos de Jesus apoderaram-se do jogo e iam levando perigo nomeadamente por intermédio de Sulejmani. Nas duas primeiras incursões pelo flanco (aos 11 e 13 minutos) foi varrido do relvado.

Dois cartões amarelos para Alberto Moreno e Fazio.
A entrada de Moreno é assassina! Tão assassina que o cartão amarelo é questionado até em Espanha uma vez que o jogador do Sevilha não tem qualquer intenção de jogar a bola!




Aos 13 minutos a primeira grande oportunidade para o Benfica:

Livre batido por Gaitan, Beto defende para a frente e Garay muito oportuno quase consegue empurrar para o golo. Foi Pareja quem despejou pela linha final cedendo canto.

Aos 15 minutos aconteceu aquilo que todos nós esperávamos.
Sulejmani não tinha condições para continuar e pedia a substituição a Jesus. O técnico ainda tentou convencer o jogador, o jogador tentou, mas era evidente no estádio a incapacidade do jogador.
(Saiu aos 25 minutos lesionado para mais tarde ser operado).
O Benfica era mais forte, mais perigoso, mas erros no seu meio campo, nomeadamente de André Gomes, permitia também que o Sevilha chegasse algumas vezes à área de Oblak no entanto sem perigo de maior.
O Benfica era dono e senhor do jogo e era evidente a táctica do Sevilha:
A jogar num 4-5-1 o Sevilha queria defender o máximo possível e explorar transições rápidas.
Aos 35 minutos o primeiro remate do Sevilha digno desse nome:

Moreno surgiu no ataque e,dentro da área, rematou cruzado, a meia altura, para uma defesa fácil de Oblak.

Aos 45 minutos
Maxi aparece perante Beto e permite a defesa do português do Sevilha!
Uma grande oportunidade perdida!

Antes do intervalo nova oportunidade para o Benfica.
Gaitan, aproveitando um erro da defesa espanhola para aparecer na cara de Beto.
Fazio, em desespero, aparece nas suas costas e comete um penalty do tamanho do estádio da Juventus.




Reparem na perna esquerda de Gaitan. Reparem na mão do defensor do sevilha.
Duas infrações que o arbitro não quis ver.
Como se não bastasse, já no chão Fazio toca na perna de Gaitan...




Um penalti gigante que eu vi das bancadas e que o senhor arbitro no relvado não viu... ou não quis ver.
Seria penálti e segundo amarelo a Fazio!

O jogo foi para intervalo com um injusto nulo no marcador.

No inicio da segunda parte novamente perigo para a baliza de Beto.

Lima recebe uma bola de Maxi que, sozinho, remata cruzado para Pareja cortar.
Na sequência do lance o mesmo Maxi cruza atrasado com a bola a chegar a Rodrigo que, também sozinho e com tempo, permite o corte no chão de Reyes.
 Mais uma oportunidade desperdiçada.

Aos 52 minutos
Rakitic ganha uma bola a meio campo, serve Reyes (ex benfica) que, já dentro da área, remata ao lado!

Apenas 3 minutos depois novo penálti não assinalado a favor do Benfica.

















Um penálti de Moreno que a ser assinalado receberia o segundo cartão amarelo e o consequente vermelho!

Uma vez mais, duplo erro!

O Sevilha sofreria penalti, possivelmente um golo e ficaria ainda com menos um jogador quando ainda faltavam mais de 30 minutos para terminar a segunda parte!

Seguiram-se porventura os melhores 10 minutos do Sevilha na partida.
Os espanhóis conseguiram esconder a bola do Benfica e o nosso meio campo, nomeadamente André Gomes que mostrou neste jogo ainda não estar preparado para voos tão grandes.

Aos 58 minutos de jogo outro penálti.




Corte de Carriço com a mão dentro da area!
Nem adianta tentar dizer se é ou não à queima roupa!
É um lance em que o português chega atrasado e corta a bola como pode, neste caso, como a mão!
O Benfica jogava contra 12 mas ainda não atirava a toalha ao chão!
A equipa espanhola defendia com tudo mas ainda assim apanhou um susto quando aos 83

Lima na esquerda flete para o interior do terreno e remata cruzado, por alto, para grande defesa de Beto.

Aos 90+1 minutos a ultima grande oportunidade!

Canto de Gaitan, remate de primeira de Maxi, a bola sobra para Garay que remata à meia volta mas por cima.

Pouco depois o arbitro dava por terminado a fim do tempo regulamentar.
O prolongamente foi basicamente uma copia da segunda parte!
Muita posse de bola para o Benfica, muitos ataques mas poucos frutos.
Por sua parte, o Sevilha defendia como podia e continuava com o mesmo interesse:
Queimar o máximo de tempo possível e esperar pelos penáltis.
O Benfica muito cansado tentou de tudo durante 120 minutos!
Mesmo desfalcado o Benfica foi sempre superior, teve as melhores oportunidades ( o sevilha também teve duas ou três) e sofreu na pele 3 erros gravíssimos do arbitro (3 penáltis e consequente 2 expulsões a Fazio e Moreno).


Nos penáltis e como se não bastasse os árbitros deixaram passar em claro isto:



As regras são claras. Beto devia ocupar o centro da baliza em cima da linha de golo algo que nunca aconteceu!
Fica um exemplo daquilo que devia ter acontecido...

No final já todos sabemos o resultado...
O Sevilha acabou por ganhar uma final europeia sem ter feito muito por isso!
Defender é uma arte, mas o anti jogo de Beto (queimou tempo durante todo o jogo!) os erros grosseiros do arbitro (3 penáltis e 2 expulsões) e a pobre finalização do Benfica permitiu à equipa da Andaluzia arrecadar o terceiro troféu.

Não dou os parabéns ao Sevilha pois não são os justos vencedores!!!
Curioso que foi preciso ir a Espanha para ver mais indignação com o arbitro...
Muito mais do que em Portugal!


Que Vergonha!

sábado, 10 de maio de 2014

FC Porto 2 - SL Benfica 1 (Liga Sagres 2013/2014)

Com o titulo de campeão no bolso (e taça da liga) e ainda com a final da Europa e final da taça de Portugal Jesus desde cedo garantiu que iria poupar, e bem, alguns jogadores.
Assim sendo não foi surpresa o onze inicial que Jesus escalonou:






Paulo Almeida, André Almeida, Jardel, S.Vitória, João Cancelo, Djuricic, Enzo, André Gomes, Ivan C, Salvio e Funes Mori.
Sem duvida uma equipa... alternativa.
Como era de espe rar o jogo não começou nada bem para o Benfica e aos 4 minutos já a equipa corrupta da cidade do Porto marcava o primeiro golo do encontro. Ricardo Pereira já descaído na direita, roda e atira rasteiro e cruzado sem hipóteses para Paulo Almeida. Estava inaugurado o marcador.
Aos 9 minutos e após um canto cobrado Jackson consegue atirar à baliza sem oposição no entanto a bola saiu ao lado.
O jogo entrou num periodo de maior equilibrio com o Benfica a chegar mais vezes à frente. Numa das quais conseguiu conquistar um penalty.
Num primeiro lance existe um corte limpo de Maicon, no entanto a bola sobra para Salvio e Diego Reyes acaba por derrubar o argentino já na área.
Chamado a bater Enzo igualou a partida e estava instalada a preocupação no reino da corrupção!
Uma equipa tão descaracterizada como a do Benfica tinha logrado equilibrar o jogo e tinha a capacidade de empatar o encontro.
No entanto e numa mostra cabal daquilo que pode estar a ser preparado já para a proxima epoca, o arbitro assinala penalti por uma suposta falta de André Almeida.
Jackson Martínez converteu e colocou  de novo os corruptos na frente do marcador, resultado que as equipas levaram para o balneário ao intervalo.

No inicio da segunda parte Djuri quase provoca novo escandalo!
Maicon deixou-se dormir "no pedaço" e Djuricic atento tenta o chapéu a Fabiano, mas acerta no ferro.

Aos 73 minutos....




O arbitro viu e mostrou amarelo! Critérios...

O resultado não se alterou até final e o Benfica acabou por ser derrotado por 2-1
Quanto a campeonato as coisas ficaram assim:




quarta-feira, 7 de maio de 2014

SL Benfica 2 - Rio Ave 0 (Final da Taça da Liga)

Depois de assegurado o principal objectivo da época (campeonato), o Benfica disputava com o Rio Ave a sua primeira final.
Para esta final da Taça da Liga, Jesus alinhou com:



Ao contrario do que seria de esperar o Rio Ave não entrou com o autocarro e isso permitiu que o jogo tivesse logo de inicio alguma emoção.
Logo aos 5 minutos Pedro Santos recebe a bola na direita, flete para o centro (batendo Siqueira que ficou "pregado" ao relvado) e remata forte à entrada da área, para uma grande defesa de Oblak.
Aos 13 minutos seria a vez do Benfica dar o primeiro sinal de perigo.
Gaitán cruza para Rodrigo sobre a direita, com o brasileiro a dominar no peito e a rematar para fora.

Apenas 4 minutos depois 
Rodrigo cobra um livre direto, descaído para a direita, com a bola a sair forte, mas ligeiramente ao lado do alvo.

Aos 20 minutos
contra-ataque super venenoso do Rio Ave, com Ukra a cruzar de trivela na esquerda, mas Garay, IMPERIAL, tira o pão da boca de Hassan, que surgia ao segundo poste.
O jogo entrou num período de serenidade com o Benfica a reclamar a bola para si durante mais tempo.
Neste periodo o Benfica começou a criar mais perigo. Aos 40 minutos
Excelente jogada de envolvimento do Benfica com Siqueira a cruzar rasteiro e atrasado na esquerda para coração da área, onde surge Rodrigo a rematar de primeira para uma enorme defesa de Ventura.
No entanto na jogada seguinte o Benfica não perdoou!
Canto na esquerda batido por Markovic para um primeiro desvio de cabeça de Rúben Amorim, com a bola a sobrar na direita para Rodrigo, que remata sem marcação para o fundo das redes de Ventura.



O Rio Ave reagiu bem  ao golo e ainda antes do intervalo Ukra obrigou Oblak a nova defesa.
Hugo Miguel deu por concluida a primeira parte e o Benfica ia para os balneários com a vantagem minima no marcador.

Na segunda parte as equipas surgiram mais calculistas e foi preciso chegarmos ao minuto 62 para ter o primeiro registo de perigo.
Maxi Pereira recupera a bola e dá para Rodrigo. Este conduz até à entrada da área e assiste Gaitán na esquerda, que remata e vê o golo ser negado por mais uma grande defesa de Ventura.

Aos 77 minutos o Benfica dava o golpe final na partida.
Livre de Enzo para a área, Ventura falha na saída dos postes, e Luisão com a baliza deserta só teve de  desviar de cabeça.



Estava feito o 2-0 e o Rio Ave tinha a penas 15 minutos para dar a volta.


No entanto aos 82 minutos seria mesmo o Benfica a dar novo sinal de perigo. Lima não deu o melhor seguimento a passe de Rodrigo (apos erro de Ventura).
Pouco depois o encontro terminava com uma vitoria do Benfica por 2-0.

Com esta vitória o Benfica arrecada a sua 5ª Taça da Liga e assegura, para já, 2 troféus nacionais em 3 possíveis.



domingo, 4 de maio de 2014

SL Benfica 1 - V. Setúbal 1 (Liga Zon Sagres)


Já com o titulo no bolso o Benfica recebia o Vitoria de Setúbal num jogo que seria de comemoração.
Jesus alinhou com:



Quem não estava para festas era o Setubal e foram mesmo os sadinos que deram o primeiro sinal de perigo aos 8 minutos. Ricardo Horta cobra um livre na esquerda, diretamente à baliza, mas vale o corte de cabeça de Maxi, a desviar por cima da barra.

Aos 10 minutos a equipa visitante dá novamente sinal de perigo.
Passe a rasgar de Pedro Queirós a isolar Rafael, mas o avançado brasileiro falha o desvio, com a bola a sair ao lado do poste.

Só à passagem dos 30 minutos o Benfica deu o primeiro sinal de perigo através de Salvio.
Aos 40 minutos foi a vez de Luisão levar perigo à baliza dos sadinos.
Canto cobrado por Salvio para a área, onde surge o capitão a cabecear por cima da barra.

Pouco depois Duarte Gomes apitava para o intervalo com as equipas a recolherem ao balneário com um nulo no marcador.

Na segunda parte o mesmo ritmo e a mesma (pouca) concentração.
O Benfica ia sendo superior mas permitia que o Setubal levasse água ao seu moinho.
Aos 59 minutos o Benfica inaugura o marcador.
Combinação entre André Gomes e Cardozo, com o médio português a fugir à marcação dos defesas sadinos. Ao penetrar na área e perante a saída dos postes de Kieszek  André rematou e inaugurou o marcador.
Estava feito o 1-0.



O Setúbal reagiu bem ao golo e aos 66 minutos rematou à barra da baliza de Paulo Lopes.
Dois minutos o Benfica podia ter ampliado a vantagem por intermédio de Enzo que no coração da área e na cara do guardião sadino, falhou.
Aos 75 minutos Maxi comete grande penalidade e recebe cartão amarelo.
Chamado a bater,
Rafael Martins converte com sucesso a grande penalidade. Paulo Lopes ainda tocou na bola mas não conseguiu evitar o golo do empate.


O ritmo de jogo era um ritmo de festa e o empate no marcador parecia agradar às duas equipas.

No entanto aos 88 minutos o arbitro deixa passar uma grande penalidade contra o Benfica.
Já dentro da área João Mário atira forte com a bola a bater no braço de Luisão. Penalti que ficou por assinalar.
Aos 93 minutos
André Gomes serve de primeira Lima, no coração da área, que remata com selo de golo, mas  Frederico Venâncio cortou em cima da linha, segurando assim o empate.

Segue-se a visita ao estádio do Dragão (para o campeonato) para que os Benfiquistas do nortes (ESSES HERÓIS) possam saudar o campeão!

Antes disso, Final da Taça da Liga contra o Rio Ave.

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Juventus 0 - SL Benfica 0 (2ª Mão da meia-final da Liga Europa 13/14)

Com uma vantagem mínima obtida no estádio da Luz (2-1) o Benfica deslocava-se a Itália para defrontar a Juventus na sua casa num jogo que se esperava tremendamente difícil.
Aos 2 minutos....



Penalti claro por assinalar.
Ao contrario do esperado o Benfica entrou a dominar e colocou desde logo um ritmo intenso porventura surpreendendo os jogadores da  "Vecchia Signora" .
A jogar em casa a Juventus equilibrou a partida e o jogo não sendo brilhante tinha uma intensidade alta tornado a partida numa meia final bastante interessante.

Empurrado pelo seu publico a Juve tomou conta do jogo a partir dos 20 minutos com o Benfica a defender estrategicamente espaços importantes que impediam os italianos de chegar à igualdade na eliminatória que estatisticamente apresentava factos interessantes:
A Juve ainda não tinha perdido nos seis jogos europeus em casa desta temporada (três vitórias e três empates), mas apenas não sofreu golos numa ocasião. Por seu turno também o Benfica ainda não tinha conhecido o sabor da derrota nesta competição.
Seria sem duvida um jogo equilibrado!
Aos 45+1 grande oportunidade para a Juventus.
Pogba coloca em Asamoah que cruza tenso para Vidal cabecear com muito perigo! Tão perigoso que Oblak estava batido, os adeptos da Juventus já se preparavam para festejar... Mas não festejaram!
Não festejaram por culpa de Luisão que desviou a bola em cima da linha.




A primeira parte chegou ao fim com o 0-0 no marcador.
A Juventus era superior, tinha mais bola, mais remates (11 contra 2 do Benfica) mas não encontravam o caminho do golo.
O Benfica com maior ou menor dificuldade ia conseguindo parar a equipa da casa e estava agora a apenas 45 minutos de conseguir um lugar na final em... Turim.

A segunda parte foi igual à primeira.
A Juventus mais pressionante, com mais bola, com mais tentativas na busca do golo com um Benfica a sair para o ataque pela certa levando sempre muito perigo, colocando os italianos em constante alerta.
Aos 67 minutos Enzo Pérez recebe o segundo cartão amarelo e é expulso por falta sobre Vidal.

Esperavam-se 20 minutos de sufoco!
 Embora com alguma pratica a jogar com menos um elemento, o Benfica tinha agora um teste de fogo:
Jogar 20 minutos com menos um elemento, numa meia final da Europa, fora de casa com a Juventus.

Aqui meus senhores, também aqui, podemos ver realmente o que valem estes jogadores e o que vale o trabalho do nosso treinador.

BRILHANTE!

Aos 80 minutos a Juventus chegou ao golo mas valeu...


Até final tempo para uma expulsão de Markovic muito mal explicada e um cartão amarelo a Salvio que o afastava da final!
Aos 90+8 o arbitro dignou-se a terminar o encontro com um 0-0 permitindo que o Benfica festejasse o apuramento para a segunda final consecutiva da Liga Europa.




A final está marcada para 14 de Maio neste mesmo estádio!