Translate

sábado, 27 de setembro de 2014

Estoril 2 - Benfica 3 (6ª Jornada da Liga Nos)

Esperava-se uma deslocação difícil do Benfica a Amoreira. Para este jogo Jesus avançou com o seguinte onze inicial:

Artur; Maxi, Luisão, Jardel, Eliseu; Salvio, Samaris, Enzo, Gaitán; Talisca e Lima

O Benfica entrou fortíssimo na partida e aos 3 minutos já Talisca fazia o gosto ao pé!

Num lance que deixou a nu a fragilidade defensiva da equipa de Couceiro, Talisca
pegou na bola no meio campo, foi avançando sempre em velocidade e já dentro da área desferiu o remate fatal para as redes canarinhas.

O Benfica não tirou o pé do acelerador e impunha grande intensidade no jogo, intensidade essa que os jogadores do Estoril não suportavam e foi com naturalidade e de forma justificada que o Benfica chegou aos 0-2 antes dos 10 minutos iniciais.

Pressão alta de Enzo e Gaitan, com este ultimo a roubar a bola e a entrar dentro da área para depois com um passe simples para o coração da área, deu a bola a Talisca que só teve de empurrar.

Ficava a sensação que se o Benfica mantivesse o ritmo esta poderia ser uma tarde/noite histórica!
O Benfica diminuiu o ritmo mas ainda assim podia ter chegado ao terceiro aos 17 minutos, no entanto a bola saiu ao poste.
O Benfica desceu as suas linhas e deixava o Estoril jogar e aos 29 minutos o primeiro grande lance de perigo para a baliza encarnada.

Canto de Cabrera, desvio de Kléber e Yohan por pouco não consegue a emenda.
Talvez a pensar na noite europeia, o Benfica recusava-se a voltar ao jogo e permitia tudo ao Estoril até que aos 36 a equipa canarinha conseguiu mesmo reduzir a distancia no marcador.
 Kléber rematou cruzado ao poste. Na recarga, o médio  Diogo Amadol rematou com a bola a encontra Maxi pelo caminho e a trair Artur.
Na resposta, aos 39 minutos foi a vez de Jardel cabecear á baliza de
Kieszek no entanto o poste devolveu a bola.

O marcador não sofreu mais alterações e as equipas foram para o descanso com um 1-2 favorável ao Benfica.
Na segunda parte a equipa da casa entrou pressionante e com vontade de igualar o marcador e o Benfica parecia começar tal como tinha terminado os primeiros 45 minutos.
Aos 53 minutos o Estoril chegou mesmo ao empate por intermédio de Kleber.
No entanto a jogada iniciada por Kuka começou assim....



O jogo entrou num periodo de maior equilibrio onde a equipa da casa tentava atacar mas não dispunha de muitos homens uma vez que a ordem agora era para defender como fosse possivel. Aos poucos o Benfica pegou novamente na batuta da partida e foi para cima do Estoril.
Com cansaço já acumulado, os jogadores começavam a cometer mais faltas e a chegar tarde aos lances.
Aos 64 minutos Luisão da o primeiro sinal de perigo num cabeceamento que saiu à figura do guardião canarinho.
Apenas um minuto depois expulsão para
M. Cabrera.
Já com um cartão amarelo, o jogador tem uma entrada fora de tempo atingindo Enzo.


A jogar com menos um jogador, o Estoril abdicou do encontro e remetia-se à sua defesa.
Apenas 5 minutos mais tarde o Benfica adiantava-se novamente no marcador.
Derley surge na área, Kieszek com muito azar atira contra o avançado.
Este aproveita e já em cima da linha desvia para o meio da baliza onde estava Lima  que se limitou a empurrar para o fundo das redes.



Estava feito o 2-3 e encontrado o vencedor da partida.
O Benfica arrecadou, e bem, os três pontos num jogo onde sofreu sem necessidade nenhuma.
Uma entrada fortíssima deu 0-2 nos primeiros 10 minutos e se o Benfica tem jogado pelo menos mais 20 ou 30 a esse nível teria chegado para uma goleada histórica.
Assim não aconteceu, o Benfica relaxou demasiado e sofreu dois golos, colocando-se numa posição complicada. Num "forcing" final chegou à vitoria e segue na frente do campeonato.


Mais uma vez a massa do Benfica fez-se sentir!




Resumo aqui



domingo, 21 de setembro de 2014

Benfica 3 Moreirense 1 (5ª Jornada da Liga Nos)

Um jogo que era encarado pelos Benfiquistas como de baixo risco e onde a única expectativa que havia para esta partida era saber se Jesus iria usar Júlio César na baliza Benfiquista, o que acabou mesmo por acontecer. Era a sua estreia com o manto sagrado.



Á frente de Julio Cesar jogaram Maxi, Luisão, Jardel, Eliseu; Salvio, Enzo, Samaris, Gaitán; Talisca e Lima.

Extremamente bem organizados, o Moreirense de Miguel Leal apresentou-se na luz sem complexos e logo no primeiro minuto deu sinal de perigo com um cabeceamento de
Alex que saiu ao lado.
Passados apenas 15 minutos o Moreirense não falhou!
Arsénio cruza da esquerda e João Pedro aproveita a má colocação (como quase sempre) de Eliseu para de cabeça bater o estreante Júlio César.

Esperava-se uma reacção do Benfica mas esta nunca chegou. O Benfica era previsível e lento em tudo o que tentava fazer.
A jogar em casa, Jesus fez o que era expectável:
retirar um médio e colocar um jogador na frente de ataque.
O que se podia fazer do banco estava feito! Agora era com os jogadores...

O Benfica melhorou processos mas ainda assim muito longe do que pode e deve fazer.
Seria já no minuto 45 o primeiro grande sinal de perigo por parte dos homens de Jesus.
Salvio em esforço ainda consegue atirar à baliza, no entanto o poste devolveu o empate e o Moreirense foi para os balneários com a vantagem mínima no marcador.
Na segunda parte tudo parecia estar na mesma. O Moreirense bastante solto não ia permitindo grandes veleidades à equipa do Benfica, até que ao minuto 57 Marcelo Oliveira vê, e bem, o segundo cartão amarelo e deixou a sua equipa a jogar com 10 elementos.
Este foi o momento em que o Benfica pegou no jogo e foi para cima do adversário e aos 69 minutos surgiu, por fim, o golo da igualdade.
E QUE GOLO!



Apenas 7 minutos depois o Benfica dava a volta ao marcador.
Após cruzamento de Gaitan, a bola sobra ao segundo poste para Maxi Pereira que fuzilou as redes do Moreirense fazendo o 2-1 festejando depois como um macaco, ou em espanhol, mono




A 7 minutos do fim grande penalidade para o Benfica.
Anilton tocou na perna de Lima quando este corria na direção da baliza.
Penalti bem assinalado pelo arbitro e bem executado por Lima que assim voltava aos golos!



O jogo terminaria pouco tempo depois com uma vitoria do Benfica por 3-1.
Jogo de fraco nivel (em especial na primeira parte) por parte do Benfica que na segunda parte foi indubitavelmente mais forte após a expulsão.
Jogando bem ou mal, a verdade é que o Benfica está em primeiro lugar do campeonato.
Ainda é muito cedo e estar em primeiro lugar (com tão poucos pontos de avanço) não significa quase nada, mas é sempre motivador!
Já diz o povo, "candeia que vai à frente alumia duas vezes"

Resumo aqui
Gifs roubados aqui

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Benfica 0 Zenit 2 (UEFA Champions League 2014/2015 1ª jornada )

Depois de uma vitória tranquila na visita ao Bonfim, o Benfica tinha a difícil missão de bater o Zenit em sua casa na primeira jornada do grupo C
Uma noite europeia cheia de reencontros: Javi Garcia, Witsel e Garay voltam à Luz, tal como Hulk e André Villas-Boas (e ainda os portugueses Danny e Luís Neto).
Para este encontro Jesus repetiu o onze inicial utilizado no Bonfim:
Artur; Maxi Pereira, Jardel, Luisão e Eliseu; Samaris; Salvio, Enzo e Gaitán; Talisca e Lima.

O Benfica entrou inexplicavelmente mal no jogo.
Alguns jogadores demasiado nervosos como foi o caso de Jardel que executa de forma deficiente um passe para Jardel...
A bola foi interceptada por Shatov que colocou em Hulk para o internacional brasileiro fazer o primeiro golo da noite.
O Benfica respondeu por intermédio de Luisão com um cabeceamento que saiu ao lado..



Ainda o Benfica se recompunha do primeiro golo sofrido já JJ tinha nova dor de cabeça.
Aos 17 minutos, Artur vê o cartão vermelho. O guarda Redes saiu ao encontro de Danny e faz falta fora da área...
Cartão bem mostrado e o Benfica tinha 70 minutos pela frente com menos 1 jogador.
Pouco tempo depois novo golo dos russos.

Canto cobrado na esquerda por Danny e Witsel cabeceia forte. Paulo Lopes ainda defende mas a bola transpôs a linha na sua totalidade levando o arbitro, e bem, a validar o golo.

O Benfica tentava reagir mas sempre mal e o Zenit limitava-se a controlar o jogo.

Na segunda parte os jogadores do Benfica vinham com ideias claras e a verdade é que o jogo podia ter tido uma história diferente se aos 53 minutos da segunda parte o arbitro tivesse apito esta grande penalidade...



Claro como a agua!
Apenas 3 minutos e após um remate, a bola acaba por bater na mão de Eliseu. Não teve qualquer intenção mas podia ter tido outras consequências.
Aos 59 minutos o Benfica novamente perto do golo.
 Livre de Gaitán na direita e Luisão solto na marca de penalti cabeceia forte, mas o guarda-redes russo defende.

Aos 61 minutos muita sorte para o Benfica.
Shatov vem da esquerda para o meio e coloca em  Hulk que remata cruzado, com a bola a ser devolvida pelo ferro.


O Benfica ia fazendo pela vida e aos 66 minutos Lima remata forte. A bola bate em Lodygin e encaminhava-se para a baliza, mas Garay completou o corte e afastou o perigo.


Aos 70 minutos o Zenit quase amplia o marcador. Rondon, num lance tirado a papel químico, imita Hulk e na cara de Paulo Lopes atira ao lado.

O Benfica voltaria a ameaçar a baliza russa através de um remate de Gaitan mas esta não era a noite do Benfica.

O jogo terminaria com a derrota dos encarnados.
Uma derrota "histórica" uma vez que o Benfica não perdia na Luz desde Outubro de 2012.
Para trás ficaram 51 jogos sem conhecer o sabor da derrota no nosso estádio.
Uma derrota que é também a primeira em casa tendo como adversário um clube russo.

(Num total de seis jogos, o Benfica soma quatro vitórias e dois empates.
Uma dessas vitórias contra equipas russas teve como adversário o histórico Dinamo de Moscovo ao qual tive o privilégio de assistir.

https://www.youtube.com/watch?v=_ZgP0G5j6dU
(mais info clicar na imagem e aqui)

No final do encontro os adeptos do Benfica aplaudiram o esforço da equipa (nomeadamente no segundo tempo).
O Benfica começa mal esta caminhada na champions mas fica o consolo de saber que temos equipa para bastante mais e melhor.
Veremos o que nos reserva o futuro.
Resumo aqui

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Vitória de Setubal 0 - Benfica 5 (4ª Jornada da Liga Nos)

 Depois de um empate em casa o Benfica procurava voltar as vitórias rapidamente e apesar de jogar no Bonfim, este Vitória parecia ser o adversário indicado.
Para tal Jesus alinhou com: Artur; Maxi, Jardel, Luisão e Eliseu; Samaris e Enzo; Salvio e Gaitan; Talisca e Lima.
Logo no primeiro minuto de jogo, Eliseu ainda a dormir (tem sido uma constante) permitiu que Manu escapasse tendo que recorrer á falta.
Resultado? Um cartão amarelo totalmente desnecessário... contra um adversário com outros argumentos este tipo de lances podem trazer dissabores.
O Benfica tomou conta do jogo imediatamente e o primeiro golo surgiu sem surpresa logo aos 9 minutos por Sálvio.
 Gaitán  cruza, Salvio recebe a bola e, fora da área, atira colocadíssimo, num golo de belo efeito.
Sem quaisquer hipóteses para Lukas.




O Benfica relaxou e os da casa subiram no terreno em busca do empate.
Aos 19 minutos Giovani foge à marcação e aparece isolado na área, contornou Artur e marcou mas o jogo já estava parado por fora de jogo.. Mal assinalado, diga-se!
O lance pareceu empolgar os da casa que lograram equilibrar o jogo no entanto iam dando espaço aos jogadores do Benfica e isso ia causando algum perigo como aos 35 e 36 minutos onde Talisca nas duas ocasiões ficou a escassos centímetros do golo.
Mas aos 37 minutos o Benfica chegou mesmo ao golo.

Gaitán cruza da esquerda e Advíncula corta de cabeça para os pés do brasileiroassistindo Talisca que, na zona central, fez o 2-0 facilmente.


Quando muitos já pensavam no intervalo o Benfica chega novamente ao golo por intermédio de Talisca.
Na marcação de um livre o brasileiro surpreendeu toda a gente da barreira ao atirar rasteiro, obtendo assim o seu segundo golo da partida.
Com este golo chegou também o descanso e sem ter que "apertar" muito o Benfica vencia já por 0-3.
O inicio da segunda parte trouxe um Benfica igual ao da primeira e um Setúbal ainda desorientado.
O Benfica controlava o jogo de forma demasiado fácil e não foi de estranhar o 0-4.
Uma vez mais Talisca, na recarga a um remate de Salvio, coloca a bola dentro da baliza fazendo assim o seu
Hat-trick.O Benfica limitava-se a controlar a partida mas ainda assim houve tempo para mais um golo  do recém entrado Ola John. O holandês recebeu um passe mortal (de Lima) no coração da área e só teve de empurrar para dentro da baliza.


Estava feito o 0-5 que viria a ser o resultado final.
Jogo dominado do principio ao fim pelo Benfica.
Resultado justo que não causaria nenhuma estranheza se fosse por mais golos.
Destaque para Talisca e Lima que fez um grande jogo.

Principais lances aqui