Translate

sábado, 27 de setembro de 2014

Estoril 2 - Benfica 3 (6ª Jornada da Liga Nos)

Esperava-se uma deslocação difícil do Benfica a Amoreira. Para este jogo Jesus avançou com o seguinte onze inicial:

Artur; Maxi, Luisão, Jardel, Eliseu; Salvio, Samaris, Enzo, Gaitán; Talisca e Lima

O Benfica entrou fortíssimo na partida e aos 3 minutos já Talisca fazia o gosto ao pé!

Num lance que deixou a nu a fragilidade defensiva da equipa de Couceiro, Talisca
pegou na bola no meio campo, foi avançando sempre em velocidade e já dentro da área desferiu o remate fatal para as redes canarinhas.

O Benfica não tirou o pé do acelerador e impunha grande intensidade no jogo, intensidade essa que os jogadores do Estoril não suportavam e foi com naturalidade e de forma justificada que o Benfica chegou aos 0-2 antes dos 10 minutos iniciais.

Pressão alta de Enzo e Gaitan, com este ultimo a roubar a bola e a entrar dentro da área para depois com um passe simples para o coração da área, deu a bola a Talisca que só teve de empurrar.

Ficava a sensação que se o Benfica mantivesse o ritmo esta poderia ser uma tarde/noite histórica!
O Benfica diminuiu o ritmo mas ainda assim podia ter chegado ao terceiro aos 17 minutos, no entanto a bola saiu ao poste.
O Benfica desceu as suas linhas e deixava o Estoril jogar e aos 29 minutos o primeiro grande lance de perigo para a baliza encarnada.

Canto de Cabrera, desvio de Kléber e Yohan por pouco não consegue a emenda.
Talvez a pensar na noite europeia, o Benfica recusava-se a voltar ao jogo e permitia tudo ao Estoril até que aos 36 a equipa canarinha conseguiu mesmo reduzir a distancia no marcador.
 Kléber rematou cruzado ao poste. Na recarga, o médio  Diogo Amadol rematou com a bola a encontra Maxi pelo caminho e a trair Artur.
Na resposta, aos 39 minutos foi a vez de Jardel cabecear á baliza de
Kieszek no entanto o poste devolveu a bola.

O marcador não sofreu mais alterações e as equipas foram para o descanso com um 1-2 favorável ao Benfica.
Na segunda parte a equipa da casa entrou pressionante e com vontade de igualar o marcador e o Benfica parecia começar tal como tinha terminado os primeiros 45 minutos.
Aos 53 minutos o Estoril chegou mesmo ao empate por intermédio de Kleber.
No entanto a jogada iniciada por Kuka começou assim....



O jogo entrou num periodo de maior equilibrio onde a equipa da casa tentava atacar mas não dispunha de muitos homens uma vez que a ordem agora era para defender como fosse possivel. Aos poucos o Benfica pegou novamente na batuta da partida e foi para cima do Estoril.
Com cansaço já acumulado, os jogadores começavam a cometer mais faltas e a chegar tarde aos lances.
Aos 64 minutos Luisão da o primeiro sinal de perigo num cabeceamento que saiu à figura do guardião canarinho.
Apenas um minuto depois expulsão para
M. Cabrera.
Já com um cartão amarelo, o jogador tem uma entrada fora de tempo atingindo Enzo.


A jogar com menos um jogador, o Estoril abdicou do encontro e remetia-se à sua defesa.
Apenas 5 minutos mais tarde o Benfica adiantava-se novamente no marcador.
Derley surge na área, Kieszek com muito azar atira contra o avançado.
Este aproveita e já em cima da linha desvia para o meio da baliza onde estava Lima  que se limitou a empurrar para o fundo das redes.



Estava feito o 2-3 e encontrado o vencedor da partida.
O Benfica arrecadou, e bem, os três pontos num jogo onde sofreu sem necessidade nenhuma.
Uma entrada fortíssima deu 0-2 nos primeiros 10 minutos e se o Benfica tem jogado pelo menos mais 20 ou 30 a esse nível teria chegado para uma goleada histórica.
Assim não aconteceu, o Benfica relaxou demasiado e sofreu dois golos, colocando-se numa posição complicada. Num "forcing" final chegou à vitoria e segue na frente do campeonato.


Mais uma vez a massa do Benfica fez-se sentir!




Resumo aqui