Translate

sábado, 31 de janeiro de 2015

Benfica 3 - Boavista 0 (19ª Jornada da Liga Nos)

Depois de uma derrota inesperada, o Benfica voltava ao seu estádio para medir forças com um aflito Boavista.
Mesmo depois de uma derrota, os adeptos fizeram questão de dizer presentes e estiveram na Luz 40.000 almas para apoiar o seu clube do coração.
Para este encontro, Jesus alinhou com:
Júlio César; Maxi, Luisão, Jardel e Eliseu; Samaris, Pizzi, Salvio e Ola John; Jonas e Lima.

Aos 7 minutos o Benfica dá o primeiro sinal de perigo.
Lima aparece isolado, contorna Mika e assiste o holandês Ola J., que com a baliza aberta, remata por cima da barra...

O Benfica controlava as operações e os homens de Petit iam batendo em tudo o que mexia.

Ainda assim foi o Benfica a criar novamente perigo por intermédio de Salvio que isolado a passe de Lima  e só com Mika por diante rematou ao lado.

Aos 17 nova oportunidade por Pizzi mas Mika a fazer uma defesa segura.
Era um jogo de sentido único e o golo chegaria mesmo aos 23 minutos.
Passe magistral de Maxi Pereira para  Lima que isolado, desvia de primeira, com a cabeça, num chapéu com muita classe a Mika.



O Benfica não deixava o Boavista sair do colete de forças e adivinhava-se o segundo golo que chegou 10 minutos depois.

 Canto curto na direita, bola chega a uruguaio que, de pé esquerdo, remata forte. A bola ainda sofreu um desvio num defesa acabando por enganar Mika.




Até ao final da primeira parte o Benfica limitou-se a falhar golos e mais golos dai o resultado ao intervalo ser de "escassos" 2-0.
Por curiosidade também na posse de bola o Benfica ia ganhando com 74%.

No segundo tempo nada de novo, um Benfica mandão e logo aos 48 minutos..



Philipe Sampaio derruba Lima pelas costas, na área, falta para grande penalidade que o árbitro não assinalou...

Aos 49 minutos o primeiro lance de perigo por parte do Boavista.
Uchebo consegue aparecer isolado, mas no entanto foi-lhe assinalado fora-de-jogo.

O Benfica continuava com a sua avalanche de jogo ofensivo mas o golo acabaria por aparecer num penalti...inexistente.
Samaris foi derrubado por Afonso Figueiredo mas fora da área.



Chamado a bater, Jonas não falhou e fez novo golo para o Benfica.

Apenas três minutos depois a situação do Boavista podia ter piorado se o arbitro tivesse visto este lance...



O Benfica baixou claramente o ritmo depois deste terceiro golo mas ainda assim continuava dono e senhor do encontro continuado a desperdiçar ocasiões de golo clarissímas.

Aos 78 minutos um dos momentos mais bizarro de sempre.
Sem qualquer necessidade, Julio César sprinta para que a bola não saia do terreno de jogo e contrai uma lesão muscular que garantidamente o vai tirar do Derby.
Um lance que tem tanto de azar como de incompreensível.

Já perto do final do encontro outro lance que o arbitro deixa passar..



O resultado final foi de 3-0 mas podia ter sido o dobro ou o triplo!
Às vezes parece que temos medo de golear....
Segue-se o jogo de Alvalade.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Paços de Ferreira 1 - Benfica 0 (18ª jornada do Campeonato Nacional)





Após a derrota do Porto na Madeira, o Benfica fortemente apoiado, como já é habito, tinha uma oportunidade de ouro para colocar o campeonato no bolso e enfrentar daqui a duas jornadas o Sporting ainda com mais tranquilidade e sem quaisquer riscos.
Isto tudo no plano teórico.
Na pratica, falhamos!
Jesus alinou com:
Júlio César, Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Eliseu, Salvio, Samaris, Talisca, Ola John; Lima e Jonas.

O Benfica entrou muito bem na partida e logo aos 6 minutos quase chegava ao primeiro. Assistência de Sálvio com Jonas a surgir ao primeiro poste mas a rematar para fora.

Aos 17 minutos Ricardo coloca mão à bola e Bruno Paixão assinalou grande penalidade.
Chamado a bater, Lima atirou com estrondo à barra.

Aos 23 minutos Sálvio vai à linha de fundo e tenta cruzar com a bola a desviar nas pernas de Ricardo e a embater no poste.

Foi preciso esperar pelo minuto 29 para ver um lance de perigo para a baliza do Benfica.
Cicero, após a cobrança de um canto, aparece sozinho na cara de Julio César, no entanto o imperador negou o golo e manteve o resultado num 0-0 resultado que as equipas levaram para o balneário.

No segundo tempo e quando todos esperavamos uma demonstração de força do campeão nacional, eis que o Benfica brinda os seus adeptos com uma segunda parte sem garra, estranhamente sem motivação suficiente (ou será que eram os do Paços que estavam anormalmente motivados?!)

Ainda assim o Benfica ia criando alguns lances de perigo como foi o caso do cabeceamento à barra de Lima aos 60 minutos.

O jogo foi-se arrastando e a equipa do Paços fazia das "tripas coração" e chegava cada vez com mais perigo à baliza do Benfica.
Até que ao minuto 90 e sem qualquer duvida, o arbitro marca penalti contra o Benfica.
Eliseu, quem mais!
Numa entrada que tem tanto de desnecessária como de imprudente, varreu Hurtado já dentro da area.

O Paços não falhou e impôs assim uma derrota ao Benfica.

Este post começou (e terminará) com fotografias das bancadas.
Não foi ao acaso!
O Benfica, depois de conhecer o resultado do Porto e jogando praticamente em casa, TINHA OBRIGAÇÃO DE VENCER e deixar os corruptos a 9 pontos!
Tivemos oportunidades mais do que suficientes para além do penalti!
Sei que há lesões, mas não há cansaço! Somos melhores que o Paços e tínhamos de vencer!
Só estamos em duas frentes e uma vitória hoje arrumava praticamente a discussão do campeonato.
Falhamos uma oportunidade de ouro e não se respeitou as várias centenas de adeptos/sócios presentes na Mata Real!

 Segue-se a recepção ao Boavista e deslocação a Alvalade.
Na casa do Sporting só dois resultados são possiveis: Vitória ou Empate.




quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Moreirense 0 - Benfica 2 ( Jornada 3 da Taça da Liga)

Jogo interessante com as duas equipas a poderem chegar às meias-finais.
Ao Benfica bastava o empate enquanto que ao Moreirense só a vitória interessava.


Como já era de esperar, Jorge Jesus deixou cinco habituais titulares de fora deste jogo. Júlio César, Maxi e Salvio por opção. Talisca cumpre castigo e Gaitán está lesionado.
Artur Moraes; André Almeida, Luisão, Jardel e Eliseu; Sulejmani, Cristante, Pizzi e Ola John; Jonas e Derlei.
Primeira parte sem grandes pontos de interesse e com o jogo repartido.
Primeiros vinte minutos com sinal mais para a equipa da casa para depois o Benfica conseguir equilibrar e mandar no encontro até ao intervalo onde o 0-0 era um resultado justo.

Na segunda parte e já com Samaris em campo o Benfica entrou com outra atitude e ia dominando as operações embora tivesse de esperar pelo minuto 64 para festejar o primeiro da noite.

Jonas recebe de Ola John, tabela com Derley que devolve. O brasileiro ex Valencia arranca depois um remate indefensável da meia lua. Marafona limitou-se a ver o lance.



Apenas quatro minutos depois o Benfica chegaria novamente à baliza da equipa da casa e ampliava a vantagem para 0-2.
Derley aproveita mau passe de Anilton e entra na área em excelente posição para marcar, no entanto e ao tentar o corte, André Marques coloca na própria baliza.



O jogo era controlado totalmente pelo Benfica que só por milagre não chegou ao terceiro golo aos 74 e 81 minutos por Samaris e Pizzi respectivamente.
Já no minuto 90 foi a vez de Gonçalo Guedes testar Marafona que conseguiu defender.

Vitória justa do Benfica num jogo sem brilho onde o resultado foi melhor que a exibição.
Com esta vitória o Benfica assegura a passagem à meia final onde receberá Sporting ou V.Setúbal.

domingo, 18 de janeiro de 2015

Maritimo 0 - Benfica 4 (17ª jornada da Liga Nos)

Deslocação à Madeira representa perigo.
É já uma tradição.
Para este encontro Jesus alinhou com:
Júlio César, Maxi Pereira, Luisão, Jardel e Eliseu; Salvio, Samaris, Talisca e Gaitan; Jonas e Lima.

O jogo começou equilibrado com ambas equipas a sentir algumas dificuldades para penetrar nas principais zonas de acção.

Seria ainda assim o Benfica a criar a primeira grande ocasião aos 16 minutos por intermédio de Jonas.
Na marcação de um livre, o brasileiro atira colocado e obrigou José Sá a voar para evitar o primeiro golo.

José Sá no entanto nada pode fazer dois minutos depois.
Grande passe de Ola John, enorme receção de Salvio que, pressionado por Bauer, controlou com o pé direito e rematou facturanto assim o sexto golo na Liga.

Aos 43 e já com cartão amarelo, Talisca faz isto...



Uma estupidez que podia e devia ter resultado em expulsão.
O jogo foi para intervalo com um magro mas justo 0-1.

No inicio do segundo tempo nada de novo e seria mesmo o Benfica a chegar ao segundo golo da noite.
Boa abertura de Talisca a lançar Ola John que espera pela saída de José Sá para, com o pé esquerdo, picar-lhe a bola por cima. Estava feito o 0-2 e Ola John que havia entrado para o lugar do lesionado Gaitan era, para já, o homem do jogo com uma assistência e um golo.
Apenas 3 minutos depois o Benfica volta a marcar!
Jonas abre na direita, Salvio desmarca-se já no interior da área e coloca a bola junto ao primeiro poste. Até parecia fácil!
Estava feito o 0-3 e o jogo estava já no bolso.

Ao minuto 58 mais uma mostra de classe do guarda redes do Benfica...
Grande remate de Danilo colocado ao angulo superior, com Júlio César a desviar, com a ponta dos dedos, para a barra!

Aos 63 minutos chegou o 4 e ultimo golo do Benfica.
Grande trabalho de Jonas sobre a direita, combinação com Salvio que assiste Lima para fazer o mais fácil. Jogada de Playstation.

Antes de terminar a partida tempo ainda para a expulsão de Talisca após e
ntrada dura (claramente à procura do segundo amarelo).
O brasileiro cumpre assim castigo na Taça da Liga e poderá jogar em Paços de Ferreira.


Vitória justa do Benfica que conseguiu tornar o jogo fácil. No entanto convém não esquecer que o Benfica podia e devia ter disputado toda a segunda parte com menos um jogador uma vez que Talisca devia ter sido expulso.

Entretanto, Jorge Jesus venceu o seu jogo 300 no Benfica:

300 jogos
210 vitórias
47 empates
43 derrotas


Péssimo!

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Benfica 4 - Arouca 0 (Jornada 2 da Taça da Liga)

Segunda jornada da Taça da Liga e Jesus a apresentar um onze no mínimo alternativo.



Como era de esperar a equipa do Arouca apresentou-se bastante compacta e tentava dificultar ao máximo o jogo do Benfica.
Ainda assim os primeiros lances de perigo pertenceram mesmo ao homens de J.J por César e Maxi aos 12 e 17 minutos respectivamente.

Aos 29 minutos o jogo fica irremediavelmente desbloqueado (para utilizar um termo que os antis tanto adoram).
Cruzamento de Maxi para a área. Derley deixa passar e Fonte surge depois para encostar à boca da baliza, mas é atropelado por Dabó...que obviamente foi expulso.
Chamado à conversão do castigo máximo, Pizzi não falhou.



Em superioridade numérica, o Benfica não parou e fui em busca do segundo que esteve muito perto aos 33 e 34 minutos por intermédio de Cristante e Pizzi.

O golo acabaria mesmo por chegar por intermédio de Cristante.
Fonte remata contra um defesa e a bola sobra para o italiano que de fora da área remata forte beneficiando ainda de um desvio em Nuno Coelho.

Estava feito o 2-0 e estava também fechada a primeira parte.

O segundo tempo começou como tinha terminado o primeiro tempo, com uma oportunidade para o Benfica por intermédio de um
cabeceamento de Jonas.
O jogo entrou num período algo desinteressante onde o Arouca lutava para não ser goleado e o Benfica parecia estar satisfeito com a vantagem e geria o esforço.

Foi preciso esperar pelo minuto 82 para ver novo golo do Benfica.

Remate de Jonas contra Rui Sacramento com a bola a sobrar para Sálvio que só teve que encostar.

Ainda os adeptos comemoravam o golo de Salvio e já o Benfica fazia outro golo.

Lance a começar novamente em Pizzi, a colocar em Derley, que dá para Jonas encostar...



Vitória justa e escassa do Benfica que podia ter números do antigamente.
No entanto optou-se, e bem, por fazer uma poupança no esforço.

sábado, 10 de janeiro de 2015

Benfica 3 - Vitória de Guimarães 0 (16ª jornada da Liga Nos)

Na recepção ao sempre difícil Guimarães, o Benfica era o primeiro dos grande a entrar em acção tendo assim uma pequena dose de pressão adicional.
Para este encontro Jesus alinhou com o seguinte onze:



No jogo em que se homenageava Eusébio, o Benfica teve uma entrada fortissima!
Logo no minuto 1, Gaitán lança Jonas nas costas da defesa vimaranense.
Já isolado na cara de Assis, Jonas falha o remate.
Estava lançado o aviso.

Aos 6 minutos novo lance de perigo.
Gaitán  já na área tenta o chapéu ao guardião mas este fez bem a mancha.
Na sequência do lance, André Gomes tenta o cruzamento para o poste mais distante mas a bola sai com muita força e Jonas não chega a tempo.

À terceira foi de vez!
À passagem do 13º minuto Gaitán cobra um livre na direita, tenso e para o primeiro poste, onde aparece Jonas, com grande oportunismo, a desviar de cabeça para o fundo das redes e a fazer o seu 4º golo na liga.
Nada mau, este velho flop...


O Benfica não tirou o pé do acelerador e aos 20 minutos novo lance de perigo para o Benfica.
Gaitán cobra um livre na direita, novamente tenso, ninguém consegue a emenda na área e a bola acaba por bater na trave.
O guardião Vimaranense estava batido.

Apenas 7 minutos depois, nova bola no ferro da baliza do Vitória!
Talisca rematou de primeira, de fora da área, com a bola a bater com um enorme estrondo no poste.

O Benfica dominava o jogo e foi preciso esperar pelo minuto 40 para ver Júlio César.
Bernard cobra um canto na esquerda e Tomané, ao primeiro poste, desvia de cabeça para uma enorme defesa do brasileiro. Numa primeira fase com as mãos e já no chão acaba por sacudir a bola da pequena área!
IMPERADOR!

A primeira parte chegava ao fim com uma vantagem do Benfica que apenas pecava por escassa.

No segundo tempo o Vitória foi a primeira equipa a criar perigo aos 51 mas seria o Benfica aos 54 minutos a elevar a contagem. Lima trabalha bem na direita, entra na área e assiste Ola John que depois de atrapalhar-se e falhar o primeiro remate consegue marcar à segunda.



O Benfica abrandou o ritmo de jogo e tentava dar aliciar o Guimarães a subir no terreno.
Foi isso mesmo que aconteceu o Vitória tentava o tudo por tudo para reduzir e entrar novamente na discussão do jogo mas o Benfica foi tapando todos os caminhos para a sua baliza que estava superiormente guardada por Júlio César que apenas se limitou a fazer um par de defesas atentas.

Quando todos já pensavam no final do jogo o Benfica chegou ao terceiro golo.
Ataque rápido com Lima a lançar Salvio na área que por sua vez dá em bandeja de ouro o golo a Gaitán que apenas teve de encostar.



Vitoria justíssima do Benfica que realizou porventura os melhores 60 minutos da temporada combinando a tal famosa nota artista com um fulgor físico impressionante.


Golos:




domingo, 4 de janeiro de 2015

Penafiel 0 - Benfica 3 (15ª Jornada da Liga Nos)



Deslocação ao lotado campo do Penafiel para disputar a 15ª jornada.
Com Samaris castigado, Jesus alinhou com:
Júlio César; Maxi, Lisandro, Jardel, André Almeida; Cristante; Ola John, Talisca, Gaitan; Jonas e Lima.
Sinceramente esperava mais dificuldades.

É nestes campos pequenos que se ganham e perdem campeonatos.
No entanto a equipa do Benfica entrou forte e com vontade de trabalhar e quando assim é a probabilidade de vitória é grande.
Com um Penafiel expectante, era a equipa do Benfica que naturalmente assumia as despesas do jogo.
No entanto aos 10 minutos e num lance aparentemente sem grande perigo o arbitro poderia ter assinalado penalti contra o Benfica.
Não houve qualquer intenção, no entanto o mesmo corta um lance...



O jogo prosseguiu com uma dinâmica forte do Benfica e não foi por isso de estranhar que aos 36 minutos o Benfica se adiantasse no marcador.
Bom passe de Gaitan,a desmarcar Lima que perante Coelho e vendo Talisca isolado, serviu o seu compatriota para o primeiro golo do encontro.


Até ao final da primeira parte o Benfica limitou-se a controlar o jogo não permitindo que o Penafiel criasse perigo
.

No segundo tempo o Penafiel entrou com outra atitude e chegou mesmo ao golo por intermédio de Rabiola, no entanto anulado por fora de jogo.



O Benfica equilibrou o jogo graças ao papel preponderante de Gaitan que estava presente em todas as manobras da equipa.
O jogo ficou de certa forma controlado e melhor ficou quando aos 65 Tony, jogador experiente, já com cartão amarelo, decide fazer isto:




Depois não falem de "colo" ou que o Benfica só ganha contra 10.
Isto é estupidez de um jogador super experiente, que já tem um cartão amarelo e decide puxar o adversário.
O jogo ficou mais fácil e o Benfica agora era dono e senhor do encontro.
Aos 76 minutos criou perigo. Cruzamento quase perfeito de Gaitán! Lima ligeiramente tarde.

Mas 2 minutos mais tarde a bola entrou mesmo.


Ola John combina com Maxi na direita e, já em esforço,cruza para a pequena área.
Jonas com o peito para o segundo do Benfica.
Um golo de belo efeito!

Apenas 10 minutos depois o Benfica marcava o terceiro golo do jogo.
Jardel, com uma cabeçada poderosa, colocava a bola dentro da baliza do Penafiel sentenciando assim o encontro. Tudo isto após um canto cobrado de forma eximia por Gaitan.


O jogo terminaria com uma vitoria justa e esclarecedora por 0-3 num jogo em que o Benfica não permitiu veleidades à equipa adversária.